Em resposta às séries israelenses de sucesso da Netflix como “Fauda”, por exemplo, um estúdio do movimento islamita Hamas recriou os “escritórios” dos serviços de segurança de Israel para filmar séries com a sua versão do conflito israelense-palestino.

Gravada na Faixa de Gaza, governantes militantes do Hamas produziram uma série de TV com 30 episódios intitulada “Fist of the Free” para mostrar o seu lado dessa história. A produção aborda uma operação israelense de 2018 em Gaza que terminou na morte de sete combatentes do Hamas e um oficial israelense.

Os produtores do seriado rejeitam qualquer hipótese de exibição na Netflix por considerarem o  serviço de streaming “tendencioso à ocupação”. Não cogitam sequer uma reunião com a plataforma.

Os protagonistas de “Fist of the Free” são combatentes palestinos que, desde 2008, lutaram em quatro guerras contra israelenses. Os episódios do seriado serão exibidos na TV do Hamas e têm data de estreia para abril, o mês sagrado do Ramadã.

O Hamas e Israel já travaram quatro guerras entre si e dezenas de outras batalhas ao longo dos anos. Israel, Estados Unidos e União Europeia consideram Hamas como grupo terrorista. O grupo islamita controla a Faixa de Gaza, com 2,3 milhões de habitantes.

Em 2006, o Hamas venceu as eleições parlamentares palestinas e se retratou como a “resistência” à ocupação militar, uma visão refletida em suas produções midiáticas.

Apesar de ser uma resposta clara a produção da gigante de streamings, Sadi al-Attar, assistente de direção, não gosta de qualquer comparação com “Fauda” e diz “Não estamos respondendo a eles em seu programa.