O monitor de atividade física Misfit Shine foi lançado em 2012 com o objetivo de ser bom em apenas uma coisa: monitorar sua atividade física. Mas, desde então, os wearables evoluíram para além de contar os passos e ver se você está dormindo bem. Agora, receber notificações do seu celular é uma obrigação – é por isso que o Misfit Shine 2 existe.

De longe, a segunda versão se parece exatamente com o monitor fitness original: um pequeno disco sensível ao toque com um anel de LEDs. Ele também é extremamente leve, pesando míseros 8,5 g. Mas a comparação para por aí.

O Shine 2 agora vem com LEDs coloridos que permitem a ele fazer diversas coisas novas, como mostrar as horas e diferenciar entre algumas notificações (azul significa “mensagem de texto”, e verde significa “ligação”, por exemplo). Aqui está o show analógico de luzes em ação, exibindo quantos % eu cumpri da minha meta diária de passos – um círculo cheio significa 100% – seguido das horas (são 10h25):

Misfit Shine 2

Ao mostrar as horas, ele primeiro acende as luzes de 12h, 3h, 6h e 9h; em seguida, ele mostra a hora e os minutos (na verdade, uma aproximação de cinco minutos).

Ele ganhou um toque capacitivo melhorado e também um motor que vibra com mensagens de texto, alarmes ou lembretes. O dispositivo se conecta ao iPhone ou Android via Bluetooth 4.1 para sincronizar os dados de atividade física e para receber notificações.

Esse é o verdadeiro apelo do novo Shine 2: ele acompanha seus passos, calorias queimadas, distância percorrida, qualidade e duração de sono, e também pode se tornar algo (potencialmente) mais útil.

Misfit Shine 2 (2)

E a melhor parte é que os novos LEDs e motor de vibração supostamente não sacrificam a duração da bateria. A Misfit diz que o Shine 2 mantém os seis meses de autonomia que vimos no original – ele usa uma bateria comum de relógio, que você pode trocar. Além disso, ele é resistente à água a até 50 m.

O Misfit Shine 2 está em pré-venda nas cores preto e ouro rosa por US$ 100 (com frete de US$ 30 para o Brasil). Ele será entregue em novembro.

Será que este pequeno wearable consegue competir com um smartwatch, ou mesmo uma pulseira Fitbit? Não. Mas se você quer algo discreto e funcional, o Shine foi sempre uma boa escolha – agora ele ficou ainda melhor.