A Qualcomm sabe uma coisa ou outra sobre fazer modem 5G, e nesta terça-feira (18) a empresa apresentou o seu novo chip que possibilitará a conexão de smartphones em redes de quinta geração. Chamado de X60, ele pode atingir velocidades de download de até 7,5 Gbps (Gigabits por segundo) — se a rede suportar, é lógico.

Um dos grandes diferenciais do X60, segundo a Qualcomm, é o fato de ele suportar agregação de portadora. Ou seja, ele consegue ter uma conexão simultânea em mais de uma frequência ou faixa de espectro.



Se você não está muito ciente das frequências do 5G, vamos explicar. Dependendo do país e das operadoras que atuam neste território, existe uma faixa de frequência reservada para a construção de redes de nova geração — como também ocorreu com o 4G. Então, basicamente, há dois tipos mais comuns de abordagem para implementação da tecnologia: redes sub-6 e mmWave (ondas milimétricas).

A primeira diz respeito a redes que funciona abaixo da frequência de 6 GHz, enquanto a segunda consiste em redes que funcionam entre 30 GHz e 300 GHz. À título de curiosidade, no Brasil, devemos ter 5G nas frequências de 2,3 GHz e de 3,5 GHz.

Então, de forma resumida, o modem X60, que vem com um módulo de ondas milimétricas QTM535, poderia funcionar em boa parte das redes 5G que estão sendo construídas pelo mundo. Ou, como nota o Android Central, é o “mais próximo que temos de ter um modem universal 5G”. Importante ressaltar que ainda tem locais e empresas que apostam em redes 5G low band, com redes na casa dos 600 – 900 MHz, mas que atualmente estão ocupadas por redes 3G e 4G.

Apesar do “caráter universal”, a velocidade máxima atingida nas diferentes redes é distinta no modem X60 da Qualcomm; em ondas milimétricas, o download máximo é de 7,5 Gbps, enquanto em redes sub-6 a velocidade é de 5 Gbps.

Fora isso, a Qualcomm ainda diz que o modem 5G é construído na arquitetura de 5nm, o que significa que ele tem eficiência energética superior aos modelos anteriores da empresa.

Os primeiros smartphones com o modem X60 devem começar a pintar no mercado no início de 2021 em dispositivos premium. Ah, e vale lembrar que quem está produzindo os modems é a Samsung, já que a Qualcomm não tem fábrica. Por isso, pode ser que o próximo Galaxy S já venha com ele.

[Android Central e Qualcomm]