Se você construir sua casa no meio de uma duna, passará por algumas dificuldades. Veja as construções de Mos Espa (a cidade em Tatooine mostrada em “A Ameaça Fantasma”), prestes a ser enterrada por um monte de areia que avança com rapidez pelo deserto da Tunísia.

Mapa de Mos Espa.O set de filmagem de Star Sars, cientistas preveem, em breve será engolido pela duna. É uma péssima notícia para Mos Espa (a areia chegou lá este ano, e agora se aproxima de Qui-Gon Alley), mas ótima para Ralph D. Lorenz, um cientista planetário da Universidade Johns Jopkins.

Se serve de alguma coisa, as construções do set oferecem um ponto de referência geográfica fixo — uma característica útil quando se está medindo a migração das dunas de areia através de imagens de satélite. A relevância cultural do lugar também facilitou o monitoramento das dunas a partir do solo. Sua “popularidade enquanto destino para entusiastas de Star Wars,” escreveram os pesquisadores na última edição da revista Geomorphology, “resultou em muitas fotos publicadas na Internet, oferecendo um rico conjunto de imagens do local para o monitoramento contínuo na falta de visitas de campo dedicadas.”

Foto de satélite de Mos Espa.

Lorenz e sua equipe foram capazes de monitorar a movimentação e distribuição de dunas em formato crescente, formadas pelo vento, chamadas “barchans”. As barchans, que se formam quando a areia de um lado é empurrada para o topo e, de lá, cai para o outro lado da duna, foram observadas ao longo de todo o Sistema Solar, incluindo na superfície de Marte.

Barchans de Marte.

Imagens como essas ajudam os geólogos e cientistas planetários a entender o papel do vento na formação da superfície dos planetas ao longo do tempo, o através do que se conhece por processos eólicos. As dunas prestes a soterrar Mos Espa, por exemplo, estão se movendo a uma velocidade de 15 metros por ano, e estima-se que transportem 50 metros cúbicos de areia por metro a cada ano. Entender o impacto geológico do vento e reconhecer como esse impacto varia não apenas aqui, na Terra, mas em outros lugares do Sistema Solar, pode nos ensinar muito sobre o passado, o presente e o futuro da geologia e climatologia de um planeta.

As descobertas dos pesquisadores foram publicadas na última edição da revista Geomorphology.

Imagem do topo via Wookiepedia; mapa da Mos Espa e imagem de cima por Lorenz; barchans marcianos via NASA HRISE.