A Mozilla quer fazer o Firefox ficar mais rápido e, para isso, anunciou um projeto chamado Quantum, que vai substituir o motor de renderização do navegador, deixando ele mais adequado à internet dos dias de hoje.

Criadora do Firefox está reinventando as bases do navegador web, e você pode testar
O Firefox vai começar a bloquear agressivamente o uso inútil de Flash na web



Não é de hoje que a Mozilla tem planos de implementar um novo motor de renderização em seu navegador. Em julho, a Mozilla começou a testar o Servo. O problema é que o Servo não deve sair da fase de testes tão cedo, então ela decidiu começar a integrar componentes do Servo ao Gecko, o motor usado atualmente.

Esse é o projeto Quantum: a inserção de códigos do Servo no motor Gecko. O Gecko foi criado em 1997 ainda para o Netscape Navigator, então é compreensível que ele esteja ultrapassado, embora seja hoje muito mais evoluído do que era no passado. Agora, com o Quantum, ele vai ser otimizado para se aproveitar de hardwares modernos de PCs e smartphones, incluindo placas gráficas potentes e CPUs com múltiplos núcleos.

A previsão é que as mudanças comecem a aparecer para os usuários apenas no fim de 2017, tanto no navegador para desktops quanto nas versões mobile do Firefox. Isso, claro, considerando apenas as versões finais do Firefox, já que usuários de beta podem receber essas coisas antes.

[Liliputing, Android Police]

Foto por Thanh Nguyen/Flickr