É o fim da linha para o Symbian: a Nokia anunciou hoje que não lançará novos aparelhos com o antigo sistema.

A empresa deixa isso claro em seu relatório financeiro mais recente:

O Nokia 808 PureView, um dispositivo que demonstra nossas habilidades em câmera e imagem e que chegou ao mercado no meio de 2012, foi o último dispositivo da Nokia com Symbian.

No último trimestre, foram vendidos 2,2 milhões de celulares com Symbian, metade do número que o Lumia alcançou no mesmo período. Até então, o Symbian vendia mais que os Windows Phones da Nokia.

A estratégia da Nokia em celulares agora se concentra em duas linhas: Asha, de celulares simples com S40 (não é Symbian); e Lumia, de smartphones com WP 7.x e 8.

O Symbian foi lançado em 1998, e cresceu a ponto de dominar as vendas de smartphones por dez anos. Mas sem reagir rápido à chegada do iOS e Android, ele foi morrendo lentamente. Sony Ericsson, Samsung e outras abandonaram o Symbian, e em 2011, ele perdeu de vez a liderança em vendas para o Android.

O fim do Symbian já era algo esperado: quando Stephen Elop anunciou que a Nokia iria se dedicar ao Windows Phone, em fevereiro de 2011, fomos avisados que o Symbian seria descontinuado no futuro, mesmo prometendo há algum tempo que o sistema receberá atualizações até 2016. Mas apesar de lançar atualizações como Anna e Belle, a Nokia não é mais diretamente responsável por manter o Symbian – seu desenvolvimento foi terceirizado.

Enfim, ele está pronto para se juntar ao MeeGo Harmattan no céu de sistemas para smartphone que não virão em produtos novos. A Nokia não deixou claro se continuará produzindo aparelhos com Symbian (sem lançar novos), ou se apenas venderá o estoque restante. Mas, de um jeito ou de outro, isto representa o fim para o Symbian. Adeus e até nunca mais. [Nokia via TechCrunch via Engadget]

Foto por Rafe Blandford/Flickr