Os nativos norte-americanos que ocuparam o estado de Louisiana há mais de 3 mil anos atrás sempre foram considerados simples caçadores e coletores. No entanto, novas descobertas arqueológicas da Universidade de Washington mostraram o contrário e surpreenderam cientistas.

O artigo, publicado na revista Southeastern Archaeology, relata que esses primeiros povos indígenas eram engenheiros altamente qualificados, capazes de construir enormes estruturas de barro em questão de meses – possivelmente até semanas – que resistiram ao tempo.

“Nós, como comunidade de pesquisa – e a população como um todo – subestimamos os nativos e sua capacidade de fazer um trabalho como esse”, disse, em nota, Tristram Kidder, autor principal da pesquisa.

Os cientistas analisaram o Poverty Point, que consiste em um enorme monte de terra de 22 metros de altura que teve um trabalho de terraplenagem. As estruturas foram construídas por há aproximadamente 3,4 mil anos a partir de quase 2 milhões de metros cúbicos de solo. Surpreendentemente, isso foi feito sem o luxo de ferramentas modernas, animais domesticados ou mesmo carrinhos.

Usando métodos de pesquisa modernos, incluindo datação por radiocarbono, análise microscópica de solos e medições magnéticas, os pesquisadores perceberam que essas são evidências conclusivas de que a terraplenagem foi construída rapidamente.

Além disso, não há sinais de limites ou de desgaste entre os vários níveis, o que teria ocorrido se houvesse mesmo uma breve pausa na construção. Kidder acredita que a ela foi concluída em elevadores ou camadas de sedimento depositadas para aumentar a altura do cume.

“Uma das coisas mais notáveis ​​é que essas obras de terraplenagem se mantiveram unidas por mais de 3 mil anos sem nenhuma falha ou grande erosão. Em comparação, pontes, rodovias e represas modernas falham com incrível regularidade porque construir coisas com terra é mais complicado do que você pensaria. Eles realmente eram engenheiros incríveis com um conhecimento técnico muito sofisticado”, afirma o especialista.

Assine a newsletter do Gizmodo

Mas por que isso importa? De acordo com Kidder, as descobertas desafiam as crenças anteriores sobre como os caçadores e coletores pré-modernos se comportavam. A construção exigiria uma grande concentração de mão-de-obra bem organizada e liderança para sua execução.

“Entre a velocidade da escavação e construção e a quantidade de terra sendo movida, esses dados nos mostram nativos vindo ao local e trabalhando em conjunto. Isso por si só é notável porque acreditava-se que os caçadores-coletores não eram capazes de fazer essas atividades”, conclui o cientista.