Em outubro de 2019, arqueólogos mexicanos encontraram relevos intrigantes esculpidos em um túnel de 4km de extensão e 400 anos nos arredores da Cidade do México. Mas agora, a agência que orquestrou a escavação disse que os arqueólogos precisarão encobrir o local novamente, já que não há fundos para protegê-lo e criar uma exposição.

O porta-voz do governo, o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), atribuiu a responsabilidade às perdas sofridas pela pandemia Covid-19. “Deve-se considerar que essa emergência mundial obrigou todos os níveis de governo a priorizar a destinação de dinheiro para a saúde da população. Por isso, o projeto arqueológico teve de ser adiado”, diz o comunicado da agência, segundo a AP. O instituto espera que colocar terra de volta no topo das obras de arte indígenas será o suficiente para mantê-las seguras até que alguém encontre meios para uma preservação mais adequada.

Os artefatos mais notáveis ​​encontrados na entrada do túnel foram imagens esculpidas de animais, deuses e outras iconografias, noticiou o Mexico News Daily na época, embora pregos e parte da madeira original do portão também tenham sido descobertos. Representações da cabeça de um pássaro, gotas de chuva, um escudo de guerra e uma estrutura de templo estavam entre as obras de arte escavadas.

Várias das obras de arte pré-hispânicas adornando a parede do túnel de controle de inundação.

As imagens eram pinturas rupestres – esculturas em pedra – e painéis de estuque e, embora os desenhos fossem pré-hispânicos, foram feitos em um túnel mais indicativo da construção europeia, disse o INAH em um comunicado. Isso sugere que os trabalhadores indígenas da área provavelmente ajudaram a construir a barragem, disse Raúl García Chávez, arqueólogo chefe do Instituto Nacional de Antropologia e História no local, em uma entrevista ao Live Science.

Um arqueólogo disse que a escultura do templo era provavelmente uma dedicação ao deus asteca da chuva, Tláloc. As alusões à água foram provavelmente intencionais, já que o túnel foi uma abertura de um sistema de diques do século 1917 que foi construído para controlar os níveis de água na área e evitar inundações. O dique se manteve firme por 20 anos, mas não conseguiu lidar com uma inundação desastrosa em 1629, que encheu os túneis por cinco anos; Os governantes coloniais do que então era a Nova Espanha cobriram o portão, Chávez disse ao Live Science.

Assine a newsletter do Gizmodo

Os arqueólogos do INAH planejaram mover as obras de pedra e estuque para um centro comunitário local e substituí-las por réplicas na eventual exposição no local, o que permitiria ao público entrar no túnel e ver a escala do sistema de perto. Mas tudo isso está em espera agora, enquanto os arqueólogos desfazem seu trabalho dos últimos dois anos. Esperançosamente, alguém no futuro terá os meios para desenterrar tudo novamente.