A Nvidia tem se mantido como uma das empresas líderes no mercado de placas de vídeo, sendo pioneira em tecnologias que vão dos efeitos de iluminação sofisticados ao ray tracing em jogos. E nesta terça-feira (1°), a companhia anunciou oficialmente a linha GeForce de última geração: RTX 3070, a RTX 3080 e a RTX 3090. Elas serão lançadas a tempo das festas de fim de ano, e são tão poderosas que eu mal posso me conter de tanta animação.

Rumores apontavam que a arquitetura Ampere, até então voltada apenas para data centers e deep learning, serviria de base para as novas placas profissionais. A própria Nvidia confirmou a informação em maio e, de fato, as novas placas da série RTX 30 também serão construídas em Ampere. Isso significa que as placas da série RTX 2000 com arquitetura Turing ficarão obsoletas dois anos depois de serem lançadas.

Imagem: Nvidia

Mas calma, porque após várias demonstrações impressionantes, é difícil se chatear com essa transição tão rápida. Se a Nvidia cumprir a promessa das demos de hoje, então pode esperar no mínimo um ray tracing mais decente – aquele que realmente estávamos esperando. “Este é o nosso maior salto geracional de todos os tempos”, disse o CEO Jensen Huang na transmissão pela internet.

Os cards da série RTX 30 introduzem várias mudanças de performance em comparação com a geração anterior. A RTX 3090 terá monstruosos 24 GB de memória, ocupará três slots no seu case e, felizmente, não soará como um motor a jato quando estiver em potência total total, já que inclui um “silenciador” capaz de distribuir o resfriamento. Neste caso, é melhor ter uma fonte de alimentação de 1000 W ou superior, especialmente se você quiser emparelhar esta placa com um Intel Core i9-10900K. Vai por mim: você vai precisar.

A RTX 3080 usará 10 GB de memória GDDR6X com largura de banda de 760 Gbps, e é considerada duas vezes mais rápida que a RTX 2080. A RTX 3070, por sua vez, terá 8 GB de memória e é supostamente 60% mais rápida que a RTX 2070. Para efeito de comparação, a RTX 2080 Ti possui 11 GB de memória e 616 Gbps de largura de banda. A RTX 3080 terá suporte ao 4K rodando a mais de 60 quadros por segundo, enquanto a RTX 3070 deve operar, por padrão, com 1440p.

Quanto ao desempenho, há um enorme salto. Tão grande que a Nvidia afirma que a RTX 3090 será capaz de rodar jogos em 8K a 60 quadros por segundo – a série 20 lutou para alcançar 4K a 60! É muito provável que a placa habilite o ray tracing automaticamente em 4K. A RTX 3090 também está à frente da placa Titan RTX na maioria das especificações (ambas possuem a mesma quantidade de memória), tornando esta GPU em um item indispensável para quem quer extrair a melhor e maior performance no PC.

As placas da série RTX 30 também serão baseadas na arquitetura de 7 nm, combinando com a atual geração de placas gráficas da AMD. No momento, a Nvidia tem uma séria vantagem sobre a AMD. E se a AMD for competir, ela não deve apenas fazer o com que o ray tracing pareça tão bom quanto as placas GeForce, mas deve atingir os mesmos benchmarks de taxa de quadros, algo que não conseguia fazer com a série RX 5000.

Os novos cards da Nvidia serão vendidos por preços a partir de US$ 500 (R$ 2.699 na conversão direta, sem impostos), no modelo RTX 3070 e lançamento previsto para outubro; US$ 700 (R$ 3.799) para a RTX 3080, com previsão para 17 de setembro; e US$ 1.500 (R$ 8.097), na versão RTX 3090 e lançamento para 24 de setembro.

Será interessante ver como a RTX 3080 e RTX 2080 Ti se comparam uma com a outra, considerando que são quase idênticas nas especificações. Mas e a vantagem da nova arquitetura Ampere sobre a Turing? Teoricamente, um transistor de tamanho menor na geração mais recente significa velocidades mais rápidas, uma vez que os componentes estão mais próximos – a Nvidia afirma que, em alguns casos, pode atingir o dobro de velocidade. Particularmente, mal posso esperar para colocar minhas mãos nas novas placas e testá-las de perto.

Imagem: Nvidia

Houve algumas questões que a Nvidia enfrentou após o lançamento da série RTX 20. Isso incluiu a falta de compatibilidade de ray tracing com a maioria dos jogos, o que comprometeu um desempenho melhor. No entanto, a próxima geração das placas da Nvidia com tecnologia ray tracing não deve enfrentar esses problemas, já que haverá suporte para games que ainda virão por aí, como Cyberpunk 2077, e grandes títulos que já foram lançados, como Metro Exodus e Control.

E o que acontecerá com a série RTX 20? A Nvidia vai encerrar a produção no mês anterior ao lançamento global da nova geração – o que, na prática, já está acontecendo desde agosto? Parar a fabricação no mês anterior ao lançamento oficial, como fez com a GTX série 10? Onde isso deixa a série GTX 16? E a queda nos preços em todas essas linhas? Os rumores já apontavam para uma produção desacelerada ou totalmente interrompida na linha RTX 20, o que poderia criar uma situação de escassez até que a série RTX 30 chegue ao mercado.

Com as novas placas previstas para este mês, fique atento para análises e respostas – incluindo quanta energia a versão mais potente (RTX 3090) vai precisar para funcionar. Se a Nvidia cumprir as promessas feitas hoje, a AMD e a próxima geração de consoles podem estar em apuros.