Fazer um prédio ser aprovado pelo público é complicado – algumas vozes fortes em uma vizinhança conseguem derrubar todo o processo. Para ganhar o apoio do público, o designer Karim Rashid usou o Facebook para perguntar a seus mais de 421.000 fãs qual era o melhor entre alguns conceitos criados por ele para um novo prédio.

Rashid, que também é conhecido por seus móveis coloridos, postou quatro opções para um edifício de sete andares no bairro de SoHo em Nova York, e pediu para seus seguidores escolherem o preferido. Vale notar que nenhum desses prédios se parece com os outros edifícios na mesma rua, o que fez alguns comentaristas reclamarem.

Arquitetura via FacebookNa semana passada, Rashid divulgou o design vencedor (à esquerda), e disse ao Dezeen que ele foi escolhido em parceria com a incorporadora com base em diversos fatores, mas o feedback do público foi definitivo para a decisão ser tomada.

A enquete do Facebook (que infelizmente não está mais disponível na página de Rashid) não é muito diferente dos grupos de foco usados por designers, e Rashid disse ao Dezeen que ela ajudou a perceber que essa opção era a grande vencedora. “Grupos de foco podem destruir e finalizar projetos, mas se o feedback for majoritariamente positivo você sabe que o projeto será bem sucedido.”

Além de escolher o design preferido, os comentaristas também ajudaram Rashid a encontrar coisas novas em seu próprio projeto, como o fato de que a fachada em um dos conceitos lembrar bastante uma loja da Citroën em Paris, na França.

Em muitas partes do mundo, departamentos de planejamento de cidades normalmente exigem um período de participação pública para prédios como esse. Será que um dia uma enquete do Facebook será a mesma coisa do que uma prefeitura realizar uma audiência pública antes do processo de construção do prédio? Em alguns concursos internacionais de arquitetura, o público é ouvido na hora de escolher o design de parques e pontes através da internet. Além disso, conselhos de bairro usam ferramentas de organização online para discutir os problemas dos seu bairros. Independentemente de quão oficial isso possa parecer, é uma forma inteligente de engajar as pessoas em processos como esse e dar à população uma noção maior de participação no desenvolvimento da própria cidade. [Dezeen via @ChappellTracker]