O Egito, país que pode sucumbir a uma severa crise de moradia, anunciou o desenvolvimento de um chamativo novo projeto nesta semana — e é um retrocesso em relação às coisas que vemos em Las Vegas ou ao Egito antigo. Talvez um pouquinho das duas coisas.

O Cairo Post noticia o novo projeto chamado de Zayed Crystal Spark: uma pirâmide de vidro de 200 metros de altura rodeada por uma piscina refletiva, em cuja base encontra-se uma pirâmide menor e mais achatada que serve de entrada. A torre maior abrigará iniciativas “de administração, comerciais e de entretenimento”, de acordo com o Moustafa Modbouly, Ministro da Habitação do Egito, que apresentará mais detalhes do plano durante uma conferência econômica ainda este mês.

ei4newvrfomwyhg3dbew

A torre será a maior do país, tendo quase 60 metros a mais que as pirâmides antigas — que ficam a apenas alguns quilômetros de onde a pirâmide de vidro será construída.

Ao mesmo tempo, o Egito lida com um enorme crise de habitação. O Middle East Institute noticia que 18% das famílias do Egito vivem em casas de apenas um quarto, devido à escassez de moradias no país. A Agência Central de Mobilização Pública e Estatísticas disse ao Al Monitor que existem mais de 20 milhões de pessoas morando em casas “informais”, nas quais é comum faltar água e eletricidade.

Cairo - The Mother Of The World

Foto por Marco Di Lauro/Getty Images

O problema, no entanto, não é a falta de moradia, mas o fato de elas serem caras demais. Maria Golia, do Middle East Institute, afirma que mais de seis milhões de casas estão vagas, mas o valor cobrado não reflete a realidade financeira da maioria da população. Antes de ser eleito, o presidente Abdel-Fattah al-Sisi disse que o governo construiria um milhão de casas populares para jovens de baixa renda. O projeto foi orçado em $40 bilhões, mas ainda não se materializou.

O resultado disto é uma indústria ilegal de construção de casas não licenciadas para habitantes de média e baixa renda, diz Golia:

Ninguém foi mais bem-sucedido que a própria população egípcia ao tentar resolver esse problema. Enquanto o governo construiu 50.000 casas populares entre 2012 e 2014, casas informais em áreas não planejadas somaram mais de 2 milhões de unidades no mesmo período. Especialmente em 2011, quando não houve supervisão do estado, a construção de casas informais cresceu de tal forma que construtoras licenciadas não encontravam materiais de construção para seus projetos.

Mideast Egypt Weather

AP Photo/Maya Alleruzzo

Então, enquanto o ministro da habitação do Egito promove um esquema de milhões de dólares para construir a pirâmide de luxo, uma indústria ilegal emerge para suprir as necessidades da população egípcia mais carente. É um dinâmica bastante comum em outros países, embora sob circunstâncias diferentes — um abismo entre projetos de luxo endossados pelo governo e a obrigação de construir moradias para a população. [The Middle East Institute; Cairo Post; Hyperallergic]