E ele chegou. Steve Jobs acaba de anunciar o iPhone 4. O aparelho é 24% mais fino, tem belo design, câmera com LED… Ei, peraí, você já conhece esse modelo, não?

Como era de se esperar, a WWDC revelou o novo smartphone da Apple, exatamente do mesmo jeito que nós mostramos. O aparelho. Há novos botões na lateral, o acabamento em prateado nas bordas, câmera com flash de LED… “Esse é o aparelho mais preciso, a coisa mais bonita que nós já fizemos”, disse Jobs. Mas a grande diferença está na tela… 

Por dentro, o iPhone 4 leva o mesmo processador de 1 GHz do iPad, o chip A4, criado pela própria Apple – tudo indica que qualquer novidade no mundo mobile da empresa terá o processador. A bateria, para aguentar o tranco, também foi modificada. Jobs prometeu 7 horas em ligação, 6 horas de internet em 3G ou 10 horas de navegação em Wi-Fi. Espaço interno de até 32 GB, GPS, acelerômetro, tudo aquilo que o pacote já tinha.

 As novidades continuam pipocando da boca de Jobs, então fique esperto. Ou não, pessoal do Napple.

Vamos aos poucos consolidando todas as informações aqui. Mais detalhes sobre:

A tela do iPhone 4 é maravihosa.

iPhone 4 chega aos EUA da 24 de junho por US$ 199 e US$ 299 (até setembro no Brasil) 

Nova câmera: agora vai?

A eterna reclamação com a câmera do iPhone pode ter chegado ao fim. O iPhone 4 tem um novo sensor de 5 megapixels, e Jobs prometeu milagres com ele. De quebra, ele ainda filma em 720p. Alguém deveria ter gritado "agora vai!".

Jobs começou a falar da câmera usando um argumento comum aos fotógrafos de todos os tipos, amadores ou profissionais: do que adianta muitos megapixels, se a qualidade da imagem não melhora praticamente nada? Assim, o novo iPhone não deu um salto triplo nos megapixels, saindo dos 3 MP apenas para os 5 MP. A grande mágica estaria na construção do sensor, que utiliza a tecnologia BSI, aumentando a eficiência em comparação às máquinas comuns.

O flash de LED não costuma empolgar ninguém, mas a gravação em 720p com 30 frames por segundo e o vídeo com capacidade de tap to focus já são bem mais interessantes. Jobs mostrou algumas fotos e quem viu, gostou. Mas a gente prefere conferir ao vivo mesmo. Outra boa novidade é a adição do iMovie no iPhone. Ou seja, será possível fazer uma edição, mesmo que básica, direto na tela do aparelho. E custará 4,99 dólares na App Store.

iPocket books

Para quem consegue ler numa boa em uma tela de 3,5 polegadas, Jobs também anunciou a adição do iBooks no iPhone OS 4, ou o iOS4, como eles decidiram chamá-lo a partir de hoje. O aplicativo funcionará da mesma forma que o app para iPad, com leitura de PDF, cores fortes, favoritos, e possivelmente o mesmo reflexo de tela. Mas o bom é que você pode sincronizar o iPad com o iPhone via Wi-Fi, ou seja, você pode compra o livro uma vez e se não quiser sair com o iPad, pode fazer um esforço e ler algumas páginas na telinha.

E a grande novidade: videochamadas

E como Jobs sempre gosta de surpreender, mesmo quando a situação não é das melhores, a última novidade foi a mais bombástica e, claro, está no software, local que nenhum iPhone vazado deu acesso. "Uma última coisa…", o slide apontou. E Jobs sentou no sofá, ligou para John Ive e começou a conversar com o cidadão. Por vídeo. Com o nome de FaceTime, a novidade pode ser a maior sacada da Apple para vender o novo iPhone: as ligações com vídeo só poderão ser feitas de um iPhone 4 para outro. 

Dá para conversar com as duas câmeras, a frontal e a traseira, sem necessidade de cliques, tudo automático. Por enquanto, a novidade funcionará só via Wi-Fi, mas eles já admitiram que estão trabalhando numa nova versão – leia-se videochamadas com 3G. Jobs, como sempre, mexeu com a mente de muita gente: "algo que parecia apenas um sonho há poucos anos é agora realidade". E assim terminou a apresentação do novo iPhone.