Hoje a Apple lançou quatro novos modelos de smartphones. O iPhone 13, 13 Mini, 13 Pro e 13 Pro Max têm os mesmos tamanhos e formatos dos seus antecessores, mas também algumas boas diferenças. Vejamos.

Tela melhor e notch menor

Captura de tela: Apple

Uma das principais reclamações sobre os últimos iPhones é que a tela não vinha mudando muito. Desta vez, ao menos, mudou um pouco. A Apple reduziu em 20% o notch do iPhone 13 para que ele seja um pouco mais discreto. Ainda não é um iPhone sem notch (que é algo que deve rolar nos próximos anos), mas é algo notável.

A tela tem o mesmo tamanho do ano anterior: o iPhone 13 Mini tem 5,4″, o 13 e o 13 Pro têm 5,4″ e o 13 Pro Max chega a  6,7″.

Já o iPhone 13 e o 13 Mini estão mais brilhantes do que nunca, com 1.200 nits de brilho máximo.

Mas o iPhone 13 Pro e o Pro Max têm telas LPTO, que permitem trabalhar com taxas de atualização de 120 Hz. Isso significa que quando você estiver lendo, assistindo vídeo ou jogando jogos, tudo vai parecer mais suave.

Se você já usou um iPad Pro e percebeu quão suave é a tela do ProMotion, pode se empolgar. A Apple não é a primeira fabricante a entregar isso — celulares Android já contam com esse recurso –, o que é algo normal.

Novos recursos de câmera

Se os novos iPhones parecem tanto com os antigos, por que você deveria fazer o upgrade? Neste ano, o diferencial está nas câmeras.

O iPhone 13 e o 13 Mini tem duas lentes mais potentes, uma principal, com 12-MegaPixels e uma 12-MP ultra-wide, que agora está posicionada na diagonal. O iPhone 13 Pro e o Pro Max contam com um trio de lentes, como sempre, e as três podem funcionar no Modo Noturno. (As versões 13 e 13 Mini não têm lentes telefoto).

Captura de tela: Apple

As novas lentes telefoto de 77mm possuem zoom óptico de 3x. Ao que parece, um dos recursos mais legais da câmera é sua aplicação em macrofotografia, que permite fazer imagens a uma distância mínima de 2 centímetros — algo que com certeza será um diferencial para certos entusiastas de fotografia. Também será possível fazer vídeos nesse mesmo formato.

A Apple tirou da cartola alguns truques que pretendem tornar a experiência de fazer fotos e vídeos mais cinematográfica — literalmente. A família do iPhone 13 agora possui uma função chamada “modo cinematográfico”, que permite filmar cenas em modo retrato. A ferramenta consegue detectar quando alguém entra em cena e mudar o foco para essa pessoa. A função também é capaz de entender que o olhar da pessoa que está sendo filmada mudou — e que a câmera, agora, precisa seguir a direção em que o seu olhar aponta.

O usuário pode tocar na tela para mudar o foco e, tocando novamente, habilitar o bloqueio de rastreamento [impedindo que a câmera acompanhe o olhar da pessoa filmada]. Na demonstração feita pela Apple durante o evento, a mudança de foco aconteceu de forma incrivelmente rápida. Você pode configurar o modo cinematográfico após fotografar no aplicativo Fotos ou filmar no iMovie. O recurso funciona tanto nas câmeras traseiras quanto na frontal.

Todos os quatro modelos  possuem estabilização ótica de imagem por deslocamento de sensor, o que torna fotos feita à noite ainda melhores.

Os modelos da linha Pro também permitem que o usuário filme em ProRes — o equivalente em vídeo do formato Pro RAW, da Apple, usado para fotografia e edição de alta resolução. Você poderá gravar em até 4K, a uma taxa de 30 fps, no formato ProRes, diretamente do aplicativo da câmera.

Uma bateria mais durável

Uma das minhas maiores queixas em relação ao iPhone 12 Mini era a duração baixíssima da bateria, que ficava ainda pior quando o 5G estava ativado. A Apple aumentou o tamanho das baterias de seus novos iPhones e disse que, com as melhorias, o 13 Mini terá 1 hora e 30 minutos adicionais de vida útil em relação ao 12 Mini. Seguindo essa linha, o iPhone 13 promete 2,5 horas a mais de bateria se comparado ao iPhone 12.

O iPhone 13 Pro também terá uma bateria com vida útil maior, que deve durar 1 hora e 30 a mais que o iPhone 12 Pro. Já o 13 Pro Max, terá vantagem de 2 horas e 30 para o iPhone 12 Pro Max. Isso significa que o iPhone 13 Pro Max terá a bateria mais longa do que qualquer outro iPhone já lançado.

Mais veloz

A família do iPhone 13 roda a versão mais moderna do processador A15 Bionic, da Apple, que tem dois núcleos de alto desempenho e quatro núcleos de eficiência — e é bem mais veloz. A Apple afirma que ele é 50% mais rápido do que o da concorrência — quer dizer, quando comparado ao chip mais recente da Qualcomm usado em telefones Android. A GPU de quatro núcleos do iPhone 13 e 13 Mini promete ser 30% mais rápida que a de seus rivais. Os modelos do iPhone 13 Pro têm uma GPU de 5 núcleos, que promete ser 50% mais eficiente. Seu motor neural [do inglês, neural engine] de 16 núcleos também é mais veloz, e também há um novo processador de sinal de imagem.

Mas, afinal, quando você vai poder colocar as mãos nesses novos telefones? O início da pré-venda acontece nesta sexta-feira (17), e as vendas começam pra valer no dia 24 (sexta que vem).

O iPhone 13 e o 13 Mini vêm em cinco cores: rosa, azul, preto, verde e vermelho. O Mini de 128 GB custa, no Brasil, a partir de R$ 6.599. O de 256 GB sai por R$ 7.599 e o de 512 GB, por R$ 9.599.

Já para o iPhone 13, os valores começam em R$ 7.599 (128GB). Os iPhones agora também terão, pela primeira vez, versões com 512 GB de armazenamento — que custarão, aqui, R$ 10.599

O 13 Pro e o Pro Max vêm em quatro cores: um azul sierra (que é mais azulado do que o tom Pacific Blue do iPhone 12 Pro), grafite, ouro e prata.

O 13 Pro será vendido a partir de R$ 9.499. Para o 13 Pro Max, a tabela de preços começa em R$ 10.499. Uma nova opção de armazenamento de 1 TB deve chegar para linha Pro, junto das versões de 128 GB, 256 GB e 512 GB.

Eu sei, eu sei: já estamos ouvindo rumores sobre um iPhone 14 para o ano que vem. Mas se o seu iPhone antigo está pelas últimas, os novos recursos de câmera da linha do iPhone 13 podem valer o investimento. Fique ligado em nossas análises completas dos novos iPhones.