Nesta semana chega ao Disney+ o “Get Back”, série documental que retrata os últimos meses dos Beatles antes da separação, em 1970.

Peter Jackson (Os Senhor dos Anéis) foi o responsável pela direção do documentário, que terá três partes e pretende dar um novo olhar sobre uma fase pouco conhecida de uma das maiores bandas de rock da história.

Jackson assistiu ao bruto de 56 horas das gravações do álbum Let It Be e o inesquecível show no topo do Savile Row, de Londres, que se tornou um clássico da banda. As filmagens foram feitas por Michael Lindsay-Hogg, que dirigiu o documentário Let It Be, de 1970.

A produção traz um lado mais pessimista da banda, mostrando integrantes que se desentendiam e davam os primeiros sinais da separação.

A proposta de Get Back, no entanto, parece ser diferente. “Estou muito feliz que Peter investigou nossos arquivos para fazer um filme que mostra a verdade sobre as gravações dos Beatles juntos. A amizade e o amor entre nós me lembra de como fomos loucamente lindos”, disse Paul McCartney em um comunicado.

Em vez das desavenças, as imagens mostram também piadas, brincadeiras e risadas entre os garotos de Liverpool, acompanhados de suas respectivas mulheres e companheiras na época — como Yoko Ono, viúva de John Lennon.

“Houve horas e horas de nós apenas rindo e tocando música, nada parecido com a versão que saiu. Foi muita alegria e acho que o Peter vai mostrar isso. Acho que essa versão será muito mais pacífica e amorosa, como realmente éramos”, afirmou Ringo Starr ex-baterista dos Beatles.

O longa é produzido por uma equipe de peso: Paul McCartney, Ringo Starr, Yoko Ono Lennon, Olivia Harrison (viúva do ex-guitarrista George), Peter Jackson, Clare Olssen e Jonathan Clyde.

“Trabalhar neste projeto foi uma descoberta alegre. Tive o privilégio de ser uma mosca na parede enquanto a maior banda de todos os tempos trabalha, toca e cria obras-primas”, disse Peter, que já assumiu ser fã da banda britânica.

Get Back chega ao Disney+ nos dias 25, 26 e 27 deste mês.