Ao lado você vê o presidente Obama embarcando no Força Aérea Um pela primeira vez com uns vídeos realmente animais. Eu adoro quando o Comandante-em-Chefe encontra o comandante do avião presidencial pela primeira vez:

“Você é exatamente o que eu quero que o piloto do Força Aérea Um se pareça. Você se parece com o Sam Shepard [o ator que interpretou Chuck Yeager] em Os Eleitos”, diz o presidente. De fato ele se parece sim. E ele poderia ter sido o próprio Yeager, já que somente os melhores pilotos – com mais de 2000 horas no cockpit pelo mundo afora e um registro perfeito – podem estar no comando desse avião.

O piloto tem que ser muito bom porque ele tem que ser capaz de se esquivar de todas as balas contra o presidente. Uma vez que o Força Aérea Um raramente é escoltado por caças, o avião tem que segurar as pontas sozinho até que a cavalaria chegue caso um ataque aconteça (eu não sei porque ele não tem escolta, mas poxa, acho que o Serviço Secreto manja mais do que eu). Se voltarmos a 1974, por exemplo, o piloto teve que executar algumas ações evasivas extremas quando quatro aviões de combate interceptaram o Força Aérea Um no espaço aéreo da Síria. No entanto, eles não estavam em perigo: eles eram simplesmente escoltas não anunciadas enviadas pelo sempre tão simpático governo da Síria.

O Força Aérea Um é um Boing 747 especialmente preparado, que mede 70 metros e pesa 362 toneladas com uma cabine de área de 371 m². Dois deles foram encomendados durante a administração de Reagan – Nancy os decorou pessoalmente – e desde então eles passaram por muitas reformas, inclusive a adição de contramedidas de ataque (que são secretas), comunicação digital codificada (28 linhas para escutas e mais 50 não criptografadas) e blindagem contra pulso eletromagnético, caso os Estados Unidos sofram um ataque nuclear.

E, aparentemente, eles também fazem uns hambúrgueres com queijo cheddar e mostarda dijon. [National Geographic]