Apesar das evidências que sugerem que realizar as Olimpíadas no Rio de Janeiro poder ser uma péssima ideia graças ao surto do vírus zika e a fatores econômicos, parece que, por enquanto, tudo fica do jeito que está.

>>> Especialista em saúde acha que é melhor não ter Olimpíadas agora por causa do vírus zika

A Organização Mundial de Saúde (OMS) soltou um comunicado no sábado (28) informando que mudar ou cancelar as Olimpíadas teria pouco impacto na disseminação do zika. A organização também sugeriu que a única forma de evitar a proliferação da doença é com recomendações de segurança pública.

“As pessoas continuam viajando entre esses países e territórios por diversos motivos. A melhor forma de reduzir o risco da doença é seguir recomendações de saúde pública em viagens,” escreveu.

A resposta vem após 150 cientistas ao redor do planeta assinarem uma carta aberta à diretora geral da OMS, Margaret Chan, sugerindo repensar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A carta dizia, entre outras coisas, que 500.000 estrangeiros indo para a mesma cidade vai facilitar a proliferação da doença por países pobres e que não foram ainda atingidos pelo surto.

“É antiético correr o risco, apenas para que os Jogos aconteçam do mesmo jeito, que sejam adiados e/ou movidos,” defendem os cientistas.

Com quase 60 países e territórios com casos do vírus zika, tanto a OMS quanto os críticos concordam que as pessoas devem seguir medidas de saúde quando estiverem viajando.

De acordo com a OMS, mulheres grávidas não devem viajar para áreas e viajantes sexualmente ativos devem fazer sexo com segurança. As pessoas devem usar roupas protetoras para evitar picadas de mosquito e devem evitar áreas com falta de saneamento básico.

“Se esses conselhos forem seguidos uniformemente, nenhum atleta vai ter que escolher entre se arriscar a pegar uma doença ou participar de uma competição que muitos se prepararam a vida inteira,” continua a carta.

[BBC]

Imagem via AP