Tudo começou com um protesto pacífico contra a morte de Mark Duggan, suposto traficante de drogas e membro de gangue, morto pela polícia britânica a tiros de submetralhadora. Mas a morte de Duggan foi o estopim para os tumultos em Tottenham, bairro pobre de Londres, que se espalharam para outras cidades da Inglaterra. Carros e ônibus foram queimados, vitrines foram quebradas e lojas foram saqueadas – e as lojas de eletrônicos foram os principais alvos.

A maior parte dos danos causados pelos tumultos ocorreu em Londres, mas a loucura se espalhou por Liverpool, Birmingham e outras cidades inglesas. Ao que parece, a maior parte dos saqueadores eram adolescentes e crianças com 11 anos ou mais, com um gosto específico por artigos esportivos e eletrônicos. Um vídeo de uma testemunha ocular no bairro londrino de Brixton mostra que lojas de celular eram grandes alvos provavelmente porque eles são “itens valiosos e pequenos com os quais você pode sumir rapidamente”.

E não foram só as lojas de eletrônicos que sofreram: um galpão da Sony com 20.000m² na zona norte de Londres foi saqueado e incendiado hoje de madrugada. A Sony diz que ele era usado apenas para armazenamento de Blu-rays, CDs e DVDs, mas relatos dizem que os saqueadores roubaram TVs e consoles também. A estrutura do galpão, com três andares, cedeu hoje.

Os tumultos não foram um protesto organizado, mas vários ataques foram planejados e coordenados usando o BBM, serviço de mensagens instantâneas do BlackBerry, smartphone líder de mercado entre os jovens ingleses, com 37% do mercado. A RIM, fabricante do BlackBerry, disse estar ajudando as autoridades nas investigações. E a atitude da polícia em relação ao uso de tecnologia nos tumultos é animadora: “não cabe a nós reclamar sobre isso, cabe a nós adaptar a forma de policiamento e lidar com isso”.

Os tumultos estão acabando. As pessoas voltam às suas casas, começam a limpeza da cidade, e até mesmo a identificar quem participou dos tumultos usando fotos publicadas na internet. E, felizmente, conseguimos encontrar beleza mesmo num momento tão grave. [BBC]