Os Estados Unidos finalmente vão deixar de usar disquetes em suas operações militares. Em 2016, já havíamos falado sobre um relatório que revelava que as operações nucleares do país ainda usavam disquetes de 8 polegadas. Agora, o comando estratégico norte-americano anunciou que os drivers foram, enfim, substituídos por “uma solução de armazenamento digital com alto nível de segurança governamental”.

Essa nova solução de armazenamento será usada no Sistema de Controle e Comando Automatizado Estratégico (ou SACCs, conforme a sigla em inglês). Basicamente, ele é utilizado pelas forças nucleares dos EUA para enviar mensagens de ações de emergência de centros de comando para forças em campo.

Segundo o tenente-coronel Jason Rossi, o sistema era seguro exatamente pelo fato de ter sido criado muito antes da internet. “Não se pode hackear algo que não tem um endereço IP. É um sistema muito único – é velho e é muito bom”, disse ele ao c4isrnet.com.

Em 2016, o Departamento de Defesa havia anunciado que deixaria de usar os disquetes até o fim do ano fiscal de 2017 e que o processo de modernização seria concluído até 2020. A Força Aérea não revelou se o projeto já está completo, apenas que melhorou a velocidade e conectividade do SACCs.

Apesar de ser difícil de acreditar que um departamento de tamanha importância se manteve dependente de um sistema tão antigo por tanto tempo, fazer essa transição tecnológica não é uma tarefa simples, exatamente por questões de segurança. “É preciso certificar-se que um adversário não será capaz de assumir o controle da arma, que a arma poderá fazer exatamente o que deveria quando o comando é enviado”, disse o diretor do Conselho Científico da Força Aérea em 2016.

[Engadget]