Estamos quase lá. Só mais um dia e deixamos esta década pra trás de uma vez por todas. Mas antes disso, vale a pena darmos uma olhada nos absolutamente piores gadgets que estes últimos 10 anos nos ofereceram.

Não ranqueamos nossas escolhas, apenas as dispusemos mais ou menos em ordem cronológica. Pense nisso como um tour pelos diversos círculos do inferno dos gadgets – e esteja à vontade para sentir aquela pontinha de culpa quando você detectar algum que você teve (ou ainda tem). Pulamos alguma coisa? Com certeza! Compartilhe conosco as suas opiniões lá embaixo nos comentários. Muitos milhares de gadgets foram lançados desde o ano 2000 e temos certeza de que no mínimo outros 50 por aí nunca deveriam ter visto a luz do dia.

NT: muitos leitores não reconhecerão alguns gadgets aqui porque a lista foi feita nos EUA, então muitos gadgets nunca foram lançados no Brasil.


CueCat
Se você contratou a assinatura de uma revista nos EUA em 2000, há uma boa chance de você ter recebido pelo correio um CueCat, e uma chance ainda maior de você nunca tê-lo usado. O CueCat era um scanner de código de barras que você plugava no seu computador. A ideia era que os usuários pudessem ler os anúncios das revistas e magicamente ser guiado para o site do anunciante. Se isto lhe pareceu ser uma maneira desnecessariamente complicada e incômoda de usar a Internet, é porque é mesmo! Felizmente, o CueCat foi deixado de lado de vez em 2001.

3Com Audrey
O 3Com Audrey, em muitos aspectos o precursor do Chumby, tinha grandes projetos como um “utensílio doméstico” quando foi lançado em 2000. Ele era um dispositivo touchscreen capaz de reproduzir música e vídeo, verificar e-mail e sincronizar com até dois PDAs Palm. Infelizmente, ele também acabou custando mais do que um notebook comparável – e a sua utilidade não era muito certa em uma casa em uma época em que ter mais de um computador significava “comprar uma linha telefônica extra”. O Audrey implodiu junto com a bolha da Internet em 2001.

Segway
Eu ainda me lembro do hype em torno do Segway de Dean Kamen quando ele ainda tinha o codinome Ginger e deveria mudar pra sempre tudo sobre a maneira como vivíamos. Opa! Acabou que ele era uma scooter de 3 mil dólares para seguranças de shopping e guias turísticos. Sim, com certeza era um grande feito da engenheira, e a sua tecnologia provavelmente mudou para sempre a robótica e outros campos. Mas o produto em si nunca pegou como fora prometido. 

 

 

 

Sony Clié PEG-NZ90
O Clié era um “Organizador Pessoal de Entretenimento”, que é uma maneira extravagante de dizer que era um PDA multimídia. Um PDA multimídia de 800 dólares, nos EUA. Qual o intuito de ser o PDA Palm OS mais avançado em uma época que ninguém queria de fato PDAs? A sua morte em 2005 foi a precursora da queda da era do assistente pessoal digital.

Iomega HipDrive
A Iomega focava seus esforços em dispositivos de armazenamento, mas isto não impediu que eles tentassem entrar na corrida pela música digital ainda em 2001. O HipZip era um player musical criado para rodar os discos PocketZip da Iomega. Assim como a brilhante ideia de uma minúscula mídia removível para players de áudio com a qual as gravadoras tanto se empolgaram, o HipZip e os seus discos nunca pegaram. Dentro de um ano ambos foram enviados para o cemitério do formato proprietário.

Olympus Eye-Trek FMD700
O principal propósito do Eye-Trek era arruinar para todo o sempre os seus globos oculares emular uma TV de 52” ao enfiar duas telas LCD de 1,5” no visor de Geordi La Forge. O suposto benefício era a portabilidade, mas as especificações vieram junto com uma pesada caixa de controle e uma infinidade de cabos. Tudo isso e você ainda tinha que conectar o Eye-Trek a um DVD player portátil ou a um laptop para obter a fonte de vídeo. Versões posteriores da mesma tecnologia eram igualmente atordoantes, então é bom saber que finalmente desistimos da categoria “assistir a coisas no seu nariz”.

Xybernaut Poma Wearable PC
Digamos, só por um segundo, que vestir (literalmente) um computador seja de fato uma boa ideia, e não um fiasco impraticável que é também um convite ao ridículo e a sovas regulares. Mesmo neste mundo fantástico, o Xybernaut Wearable PC ainda era um dispositivo lamentavelmente fraco propagandeado por embusteiros que mais tarde foram julgados por fraude de segurança. [Imagem via PC Advisor]

 

 

 

 

 

 

 

  

IBM Deskstar 75GXP
Notoriamente conhecido pelo apelido “Deathstar” pela sua legião de clientes insatisfeitos, o disco rígido de 75GB da IBM dava tanto pau que a IBM foi golpeada por uma ação civil em 2001. Eles venderam o troço à Hitachi no ano seguinte e encerraram o processo em 2005, mas isto não fez ninguém recuperar os seus dados.

BMW iDrive
O iDrive supostamente seria uma brilhante maneira de controlar todo os aspectos de conforto e informações de se dirigir um BMW quando saiu em 2001, mas em vez disto tornou-se o maior motivo de chacota do mundo automobilístico. Ele era aparentemente lerdo e extremamente não-intuitivo, zombando do bom design de interface com o usuário. A BMW trabalhou duro para corrigi-lo, mas a sua reputação ruim foi o mais difícil de superar.

Cabo Monster M1000 HDTV HDMI
A Monster diz que estes cabos HDMI são “preparados para o futuro”, uma maneira diferente de dizer que eles funcionam excelentemente com enormes formatos de áudio e vídeo que nem existem ainda. E provavelmente é verdade! Então se você quiser gastar maços de dinheiro para assegurar que, no ano 2024, você não precise mais comprar cabos – assumindo, é claro, que ainda estejamos usando cabos e que o HDMI ainda seja o conector da moda – então vá fundo! Eu prefiro pagar uns trocados por cabo, todos os anos, até finalmente termos tudo wireless.

Sony Qualia-017 MiniDisc Player
Digamos que você seja a Sony. O que você faz quando o iPod está te dando uma surra há três anos e o seu pequeno formato proprietário de disco esquisitinho esteja rapidamente evaporando dos corações e das mentes dos entusiastas por música digital nos EUA? A resposta é óbvia: você introduz um MiniDisc player de latão maciço por 1900 dólares, batata! Sei lá, creio que seja melhor que a opção alternativa de golpear seus clientes repetidamente na cabeça com uma fralda cagada, mas não muito melhor.

Nokia n-Gage
Era um telefone, um sistema de jogo e um taco mexicano, tudo num aparelho só. Era meio desajeitado de segurar, difícil de usar e travava com facilidade. E quando deram cabo dele em 2005, nós coletivamente ignoramos. Ninguém ligava para o n-Gage, e quando ele voltou como uma plataforma de jogo de curta existência para os telefones Nokia, ligavam ainda menos.

Relógio de pulso Microsoft Spot
O esforço determinado da Microsoft em colocar um computador no seu punho fracassou de vez em 2008, mas não antes de muito tempo e dinheiro ser investido em acordos com a Fossil, Suunto e a Swatch para criar estes relógios “inteligentes”. Os usuários podiam acessar as notícias do MSN Direct, clima e outras coisas por uma assinatura mensal – tudo isso podendo ser feito de maneira muito menos dolorosamente humilhante usando computadores e, com o tempo, smartphones (o sucesso passageiro da rede MSN Direct só se deu com as unidades GPS da Garmin, mas até isso em breve será descontinuado também).

 

Sony NW-HD1 Audio Player
Em 2004, a Sony estava tão apaixonada com o seu formato ATRAC3 que eles lançaram este Network Walkman que não oferecia reprodução de MP3, WAV nem WMA. Em vez disto, os usuários do NW-HD1 precisavam usar o software da Sony para converter seus arquivos de música para ATRAC3 e transferi-los para o seu player musical, um trabalho desnecessário e debilitante que ajudou ainda mais o iPod a garantir a sua dianteira já bastante folgada.

Flexplay DVD
Eu adoraria colocar o disco DivX original nesta lista, mas ele foi lançado nos anos 90. Este formato da Flexplay, no entanto, é excelente concorrente: mais um formato de DVD descartável e autodestrutivo transformado em recheio de aterro sanitário pelo Netflix, pelo streaming de vídeo e pelo bom senso.

 

 

CableCard
O CableCard deveria abrir todos os eletrônicos de consumidor às delícias do cabo digital (particularmente HDTV), mas acabou fazendo justo o oposto. A FCC recentemente chegou a declarar isso. Nos EUA, até que lançaram o TiVo HD a partir disto, mas a sua execução retardou a inovação da sala de estar em pelo menos meia década, além de qualquer capacidade que poderia verdadeiramente mudar a maneira como interagimos com os nossos home theaters – como deixar o seu Xbox 360 ou PS3 atuar como DVR, ou alimentar o “cable on demand” pelo qual os estadunidenses já pagam – ainda é um sonho desvairado a esta altura do campeonato.

Universal Media Disc
Eu entendo a Sony querer dar ao PSP o seu próprio formato proprietário especial de dados, eu juro que entendo. Mas será que eles realmente esperavam que eu comprasse filmes em UMD? A armazenagem limitada significava que conteúdos extras precisavam ser cortados dos lançamentos em UMD, e a compatibilidade exclusiva com o PSP significava que ninguém desenvolvia conteúdo em UMD de todo modo. Até a Sony está desistindo da tecnologia, optando em seu lugar pela memória flash no PSPGo.

  

Windows Smart Display
Originalmente introduzido como Mira na CES de 2002, isto foi o que a Microsoft previa ser a revolução do “telefone sem fio” no ramo dos PCs. Assim como o seu telefone fixo é plugado à parede mas você tem um aparelho sem fio com você no sofá, você também deixaria o seu computador plugado à parede e teria uma touchscreen sem fio para ficar de olho nos seus e-mails e afins. O que?!? Imaginava-se que, em 2002, a Microsoft já teria deixado de lado a metáfora “sem fio” e passado para o verdadeiro “wireless”, não é verdade? Você está certo, eles estavam errados, e este tablet idiota de 900 dólares era lerdo demais para fazer streaming de vídeo e bloqueava o seu PC de verdade enquanto estava em uso, então em 2004 ele foi pastar.

 

Telefone Motorola Rokr E1 iTunes
Antes de o iPhone ser sequer um brilho nos olhos do Steve Jobs, o Motorola Rokr E1 entrou em cena como um telefone que tocava a sua lista do iTunes. O próprio Steve o introduziu, junto com o primeiríssimo iPod Nano. No entanto, quando ele foi despachar a primeira remessa do Nano – mais ou menos ao mesmo tempo em que a Motorola introduziu o Rokr – a Apple publicamente havia se desassociado do telefone. Entre seus problemas – e eram muitos – o Rokr comportava no máximo 100 músicas, a sua velocidade de download era uma tortura e ele não reproduzia música e funcionava numa velocidade normal ao mesmo tempo. No entanto, ele continua sendo o único aparelho portátil que não é da Apple a suportar o DRM FairPlay.

Câmera Kodak EasyShare One Wi-fi
A Kodak EasyShare One foi a primeira câmera comum a apresentar capacidade Wi-fi, e por este motivo deveríamos aplaudi-la. Por outro lado, se eles tivessem esperado até terem dominado a tecnologia, eles possivelmente teriam evitado a sua inicialização incrivelmente lerda, a duração da bateria terrivelmente curta e as fotos simplesmente ruins que ela tirava. Digamos que nunca houve uma EasyShare Two. 

 

Câmera digital wireless Concord Eye-Q Go
A Eye-Q foi a primeira câmera digital Bluetooth, e também provavelmente a mais lerda. Mesmo que você estivesse disposto a suportar os agonizantes 15 minutos que ela levava para baixar míseros 7MB de imagens, as fotos que você tirava eram tão feias quanto a própria câmera.

 

 

 

 

 

 

Gizmondo
O Gizmondo era um sistema de jogo com GPS e suporte a Bluetooth e uma câmera. Ele também possuía gráficos de 128 bits e reproduzia músicas e filmes. Parece bom! Mas o funcionamento era terrível. Pouquíssimos jogos, péssima duração de bateria e marketing fajuto mataram o Gizmondo ainda no início de 2006, mais ou menos quando o seu co-fundador matou a sua Ferrari Enzo de 1 milhões de dólares numa estrada na Califórnia.

Samsung BD-P1000
Este foi o primeiro Blu-ray player dedicado no mercado, lançado em junho de 2006 para competir com o HD-DVD player HD-XA1 da Toshiba. Nenhuma das máquinas funcionava muito bem no lançamento, mas a da Samsung – que sofria de longos tempos de carregamento, nem sempre gostava dos discos que você colocava dentro e custava 1000 dólares – definitivamente foi a perdedora entre as duas. Ainda não temos certeza se foi o melhor formato que venceu a disputa.

Finger Drum Mousepad
Pense só: em determinado momento houve uma reunião durante a qual alguém lançou esta ideia, daí muitas outras pessoas concordaram com ela, daí eles gastaram dinheiro humano de verdade para fabricá-lo e para fazer seu marketing. Ou esta reunião era guiada pelo Neil Peart, ou então os executivos de mousepad não são o que costumavam ser.

Telefone VoIP/Mouse Sony VN-CX1A
Só porque você consegue enfiar duas funções dentro de um aparelho não significa que você deve fazê-lo. Na verdade, na maior parte das vezes você não deve! O mais zoado desta história é que seu marketing foi voltado para pessoas de negócios, já que elas são provavelmente as que mais precisam falar e usar seus computadores ao mesmo tempo.

Headphone NeoTune iPod Dock
Suponho que, caso você não tenha bolsos, nem mãos, nem respeito próprio, estas talvez sejam alternativas viáveis. Mas também assumo que você tenha pelo menos uma destas três coisas e convido você a aloprar este ridículo dispositivo.

Headphone Bluetooth Logitech FreePulse
Produtos Bluetooth para o iPod era excessivamente complicados, propensos a defeitos e desesperados para solucionar um problema de fios de headphones do qual ninguém sofria. O que explica o porquê de essencialmente não haver uso mainstream de headphones e adaptadores estéreo Bluetooth hoje.

Intel Viiv
Em inglês, a palavra “Viiv” rima com “ter sucesso”, mas era justamente o oposto. Em 2006, o Viiv foi a tentativa de nome estranho da Intel de criar uma plataforma de PC para a sala de estar. Em 2007, a Intel desligou os aparelhos do Viiv após ser incapaz de reter suporte OEM e interesse do consumidor. Ninguém nunca soube ao certo o que ele fazia.

Visor solar Feel Bright Light
O Feel Bright Light era perfeito para pessoas que queriam gastar 200 dólares para: a) ter um visor solar com luz fotossintética embutida, e/ou; b) parecer uma gandula de bolinhas de golfe o dia todo.

Hotdoll
Este é um brinquedo erótico para o seu cachorro. Brinquedo. Erótico. Para. Seu. Cachorro.

Wowee Robo-Elvis
Mais aterrorizante que uma convenção de imitadores gordos do Elvis (e com menos público-alvo que qualquer coisa possivelmente vendida nas lojas de lembrancinhas de Graceland), esta cabeça robótica durona era 349 dólares de puro pesadelo. Especialmente se você….err….arrancava a pele do seu rosto.

 

Projetor Torpedo Entertainment
Ainda em 2007, nós declaramos isto como o “pior projetor do mundo” e tenho orgulho de dizer que o Torpedo manteve o seu título. Era mais um brinquedo do que um gadget legítimo, ainda naquela época felizmente bastante breve durante a qual os fabricantes de brinquedos achavam que as crianças seriam enganadas por projetores de aparência hedionda.

PlayStation EyeToy
Não mais de oito jogos de PS2 por ano eram lançados para o EyeToy e a maioria deles acabava sendo incrivelmente impopular. Independente da funcionalidade que ele tinha, esta era ou limitada, ou nada atraente, ou ambos, e agora os únicos títulos que restaram aos donos de EyeToy têm nomes como EyeToy Play: PomPom Party. Então talvez não seja tão ruim assim, vai.

Apple TV
A Apple TV foi umas das poucas manchas negras no registro da Apple desta década. Infelizmente, a sua abordagem fraca a um media Center simplesmente não fez as coisas suficientemente direito para que ele se destacasse como um produto. A recente atualização 3.0 foi a mais recente decepção, especialmente porque há muitos grandes aparelhos que, individualmente, fazem um serviço melhor com a maior parte das suas funcionalidades de vídeo, incluindo o Xbox 360, o Blu-ray player LG BD390, a Roku Box, o TiVo HD e o Asus O!Play.

Hub USB wireless IoGear
Sendo um dos primeiros produtos USB wireless, o hub IoGear possuía uma configuração complicada, alcance limitado, e levou aproximadamente 5 vezes mais tempo para transferir 100MB de MP3s do que o USB 2.0 na nossa review. Por 200 dólares, era uma tentativa cara e desajeitada do que poderia ter sido uma excelente tecnologia.

Tomada Wattgate AudioGrade
Deveria ser crime cobrar 147 dólares por uma tomada de parede, mas até hoje ninguém processou a Wattgate. Só uma dica sobre este lance “padrão audiófilo” para tomadas: isso não existe.

Motorola Q9m
Nosso conselho sucinto quando fizemos a review do Q9m era que, se você o comprasse, você era um idiota. É sério, quando a operadora Verizon Wireless está tentando se livrar de um SO de telefone por ser muito incômodo usá-lo, você há de saber que tem algo de errado.

 

 

 

MP3 player/coldre Taser
Mesmo que ele fosse um MP3 player competente – e, com apenas dois botões, ele não é – esta seria uma premissa de seguir. A menos que você seja do tipo que precisa detonar um Judas Priest bem alto para ficar empolgadão e dar um choque com taser em alguém. Neste caso, vá fundo, logo após você consultar aquela ajudinha profissional de que você tanto precisa.

E-book reader touchscreen Sony PRS-700
A Sony decidiu que a e-ink tipo papel não era suficientemente insossa para um e-book reader, então eles resolveram “consertá-la” com uma touchscreen e iluminação lateral por LED. O que deu à adorável tela de e-ink do PRS-700 um reflexo horroroso, somado à iluminação fraca e desigual, o que é mais ou menos um problemão se ‘ser lido’ é o seu único propósito neste mundo. E pior, quando a tática foi criticada pelos seus defeitos óbvios, eles insistiram na ideia.


Z-Nano
Coisas que não ficam melhores por serem superpequenas: filé, gravata, asa de xícara, teclado, monitor de computador, pênis, mouse óptico. Nota 10 pelo esforço, Z-Nano, mas 0 pela usabilidade.

iLuv i9500 iPod Dock com 4 CD players
Cara, sabe o que seria uma ideia idiota? Um iPod dock com um CD player. Afinal, tipo assim, você já tem o iPod lá. Isso seria idiota, não é? Tá, agora multiplique esta idiotice por quatro e você tem o iLuv i9500.

 

 

 

 

 

Memory Stick
Essa é uma acochambração, já que seu lançamento foi em 1998, mas a Sony tem nos torturado com inúmeras variações do seu formato “por que raios ele não morre de uma vez??” de memória flash ao longo desta década, então eu digo que vale. Vamos passar rapidamente por todas as iterações: Memory Stick, Memory Stick Select, Memory Stick Pro, Memory Stick Duo, Memory Stick Pro Duo, Memory Stick Pro-HG Duo, Memory Stick Micro, Memory Stick XC. Ufa! Exaustiva, confusa e redundante. A verdadeira questão é: quantos destes formatos existem pelo simples fato de os engenheiros terem feito cagada nos formatos anteriores? Tenho certeza de que vocês membros do IEEE portadores destes cartões conseguem me responder.

 

Moldura de foto digital porta-lápis
Na verdade, “moldura de foto digital qualquer coisa”. Esta daí é só particularmente muito feia.

CatGenie
O CatGenie realmente atende a três pedidos, assumindo que estes pedidos sejam:
1)    Uma caixa de cocô que faz toda a limpeza por mim automaticamente!
2)    Que esta caixa de cocô automatizada seja uma monstruosidade gigantes, lerda, mal-cheirosa, cara e gaste mundos de energia.
3)    Intenso remorso de comprador.

Sirius S50
Um rádio portátil por satélite é uma boa ideia, na teoria. No entanto, a primeira tentativa da Sirius em fazer um não foi muito boa. O maior problema era que, para acessar um sinal aberto de satélite, o S50 precisa estar acoplado a um carro ou a uma base – o que basicamente minava o aspecto “portátil” dele. Se você quisesse levar o seu conteúdo com você, você precisava baixá-lo, mas ele só vinha com 1GB de memória interna.

TV LCD 3D JVC GD-463D10
Se a indústria de TV quer que todos nós tenhamos aparelhos 3D um dia, eles começaram com o pé errado com este monitor da JVC que induz dores de cabeça intensas. Ele custa mais de 9 mil dólares, a imagem é terrível, não há conteúdo para ela e só vem com dois míseros pares de óculos polarizados.

 

Garmin Nuvifone G60
O Nuvifone já era um natimorto quando foi lançado há uns 3 meses. Por mais que eu respeite os culhões deles de cobrarem 300 dólares por um aparelho cujo principal foco – a navegação – está disponível em qualquer lugar com um aplicativo gratuito ou muito barato, a decisão da Garmin de fazer com que o resto das funções do telefone seja consistentemente terrível selou o seu destino desafortunado. Nossa review o resume perfeitamente: não compre.

Omnia II
O hardware não é ruim, mas o software confere a este telefone a distinção única de conseguir fazer com que o Windows Mobile 6.5 fique ainda pior. Em resumo, como dissemos na nossa review, o Omnia II é um desastre.

Panasonic SDR-SW21

Cara Panasonic,
Se você quiser fazer uma câmera que grava vídeo SD a 640×480 e tira fotos a 0,3 megapixels – não muito melhor que alguns cameraphones de baixo padrão – o problema é seu. E se você quiser fazer com que esta câmera seja à prova d’água, mas só até 2 metros de profundidade, bom, não tem muito o que eu possa fazer para impedi-la. Mas quando você cobra 400 dólares por esta merda, isto deixa o Brian Lam irritado. E quando o Brian Lam fica irritado, nós é que sofremos. Então muito obrigado, sua maldita fdp.

 

TwitterPeek
Nós implicamos bastante com o TwitterPeek quando ele foi anunciado, e não é sem motivo! É um aparelho de 200 dólares que só faz uma coisa. Isso não é tão ruim, exceto pelo fato de que a única coisa é twittar, coisa que você pode fazer em qualquer telefone móvel ou PC. Não só isso, mas ele também não funciona particularmente bem. Ou seja, de uma vez por todas: o TwitterPeek é o gadget mais inútil de todos os tempos, e estou contente por ele ter sido lançado a tempo de entrar nesta lista.