Um adolescente americano diz ter conseguido a proeza de ter hackeado uma conta de e-mail do diretor da CIA, John Brennan. Segundo o garoto, que, inclusive, passou detalhes de conteúdos para o jornal New York Post, o chefão da CIA usa uma conta pessoal para tratar de assuntos profissionais — da mesma forma como ocorreu com a Hillary Clinton quando era Secretaria de Estado.

Para provar que hackeou, o garoto mostrou para a reportagem do New York Post um documento classificado como secreto de 47 páginas sobre a CIA — que foi apagado após o diretor descobrir que teve sua privacidade violada.



Além disso, o rapaz achou informações pessoais como número de segurança social (espécie de CPF nos EUA), dados de altos funcionários da CIA e uma carta do governo sobre o uso de “técnicas severas de interrogação” para suspeitos de praticar terrorismo.

O garoto se identificou como CWA (Crackas with attitude) e ele age com a ajuda de um colega de classe. Segundo o adolescente, ele violou as informações do chefão da CIA por não concordar com a política exterior dos Estados Unidos e por ser contra o apoio do país a criação de um estado palestino.

Para conseguir acessar os dados do oficial, o rapaz disse que usou engenharia social: ele diz ter enganado os funcionários da operadora Verizon para obter o número de segurança social do chefe da CIA. Com esse dado em mãos, ele afirmou que resetou a senha da conta de e-mail. Voilá.

O FBI e outras agências de segurança já estão se mobilizando para achar o moleque. Em um comunicado, a CIA apenas diz: “Estamos cientes das notícias que vieram a público nas redes sociais e estamos tomando as medidas cabíveis com as autoridades cabíveis.”

[New York Post]

Imagem: AP