A NASA transformou os dados dos Marsquakes (terremotos em Marte) em sons que você pode ouvir.

Após o pouso em Marte no ano passado, a sonda InSight depositou um sismômetro sensível chamado Experimento Sísmico para Estrutura Interior (SEIS) na superfície marciana. Depois de registrar pela primeira vez um possível e estranho terremoto em abril passado, o experimento já contou pelo menos 21 terremotos entre os 100 sinais vibracionais. Aqui estão dois desses Marsquakes:

Esses terremotos foram registrados nos dias 173 e 235 de Marte e equivalem a magnitudes de 3,7 e 3,3, respectivamente. Você não está ouvindo as vibrações diretamente: as leituras eram de vibrações abaixo das frequências audíveis. Em vez disso, são dados vibracionais processados ​​e acelerados para que você possa ouvi-los, de acordo com um comunicado de imprensa.

Os sinais vibracionais iniciais eram ambíguos quanto à sua causa, de acordo com um comunicado anterior da NASA, e não estava claro o que causou o terremoto. Os mais recentes estão mais próximos dos tipos de terremotos que os cientistas esperavam acontecer no planeta, com frequências mais baixas. Os cientistas aprenderam a identificar esses terremotos dentre outras fontes de vibração, como o vento e até a nave se deslocando.

A NASA equipou o módulo InSight com instrumentos especialmente projetados para estudar o interior do planeta. Marte não possui várias placas tectônicas como a Terra, mas vários processos planetários ainda podem causar vibrações internas. Isso pode ser devido a meteoros, atração gravitacional das luas dos planetas, atividade vulcânica ou mesmo falhas potenciais. E estudar esses terremotos pode permitir que os cientistas entendam melhor como são as coisas no interior do planeta, como se seu núcleo é sólido ou líquido e qual o seu tamanho.

Agora que os cientistas estão realmente detectando Marsquakes, estamos ansiosos pelo que mais podemos aprender sobre o interior marciano surpreendentemente ativo.