Ciência

Ozempic genérico: versão mais barata será vendida no Brasil

Expectativa é que empresa comece a comercializar o "Ozempic brasileiro" no último trimestre de 2026; veja quanto ele deve custar
Imagem: Novo Nordisk/Divulgação

Nesta semana, a farmacêutica brasileira Biomm anunciou que fez um acordo com a indiana Biocon para licenciar e distribuir no país um medicamento biológico com semaglutida — o ingrediente ativo do Ozempic.

A ideia da Biomm é comercializar o “Ozempic brasileiro” no último trimestre de 2026, quando é prevista que a patente do Ozempic caia. Por isso, até a patente expirar, a dinamarquesa Novo Nordisk continua a ter o direito de exclusividade sobre a semaglutida.

Segundo um comunicado da empresa brasileira, a Biocon será responsável pelo desenvolvimento, fabricação e fornecimento do remédio, enquanto a Biomm ficará encarregada de obter aprovação regulatória e comercializar o produto no mercado brasileiro.

Por regulamentação da SCMED (Secretaria Executiva da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), o genérico deve ser, no mínimo, 35% mais barato do que o medicamento de referência.

Ozempic genérico será mais barato

Então, se a Biomm vender o remédio como genérico, ele terá que custar, no máximo R$ 650. Isso porque as farmácias vendem atualmente o Ozempic por cerca de R$ 1.000.

Já o Mounjaro deve chegar em breve nas farmácias com preços que variam de R$ 970,07 a R$ 3.836,61.

Ingrediente ativo presente no “Ozempic brasileiro”

Os emagrecedores Ozempic e Wegovy são feitos usando o ingrediente ativo semaglutida. Ela está na classe de medicamentos agonistas (que têm afinidade) do receptor do GLP-1 (peptídeo 1 semelhante ao glucagon).

Assim, o GLP-1 é, por sua vez, um hormônio que estimula a secreção de insulina após uma refeição que contenha carboidratos. Já a insulina é responsável por favor as células absorverem a glicose proveniente da alimentação.

Em uma pessoa com diabetes tipo 2, isso não acontece corretamente. Dessa forma, os medicamentos atrasam o esvaziamento do estômago e interrompem a produção de glucagon, promovendo a produção de insulina.

Qual a diferença entre Ozempic, Mounjaro e Wegovy

Ozempic e Mounjaro são medicamentos que imitam o GLP-1, mas têm diferentes ingredientes ativos, doses e mecanismos de ação. A Novo Nordisk fabrica o Ozempic e a Eli Lilly o Mounjaro.

Normalmente, a Eli Lilly disponibiliza o Mounjaro em uma caneta injetora descartável. E, embora a Ozempic também use canetas injetoras, cada caneta pode conter mais de uma dose.

Mounjaro e Ozempic imitam o hormônio GLP-1. Mas, de acordo com Eli Lilly, Mounjaro é o primeiro e único medicamento aprovado que ativa o polipeptídeo insulinotrópico dependente de glicose – também conhecido como polipeptídeo inibitório gástrico – e os receptores de GLP-1 no corpo. Isso faz, segundo a fabricante, que o medicamento seja mais eficiente tanto no controle da diabetes tipo 2, quanto na perda de peso.

Neste post, o Giz Brasil explora as diferenças e semelhanças entres os remédios que estão fazendo sucesso como emagrecedores.

É importante destacar que somente médicos podem prescrever o Ozempic, Mounjaro e outros remédios. Além disso, como qualquer outro medicamento, ele também pode provocar efeitos colaterais.

Gabriel Andrade

Gabriel Andrade

Jornalista que cobre ciência, economia e tudo mais. Já passou por veículos como Poder360, Carta Capital e Yahoo.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas