Quase um terço da população de coalas da Austrália desapareceu depois que incêndios florestais, secas e ondas de calor nos últimos anos dizimaram os marsupiais.

A Australia Koala Foundation, uma organização que monitora o número de coalas, disse que a população total de coalas agora está entre 32 mil e 58 mil animais. Esse é um sério declínio em relação a 2018, quando a fundação estimou que o número de coalas estava entre 46 mil e 82 mil.

Em partes específicas da Austrália, o declínio é ainda mais acentuado: a população de coalas do estado de New South Wales diminuiu mais de 41% nos últimos três anos. Todas as áreas do país, segundo a fundação, viram um declínio na população. Apenas um dos 151 distritos eleitorais da Austrália tem mais de cinco mil animais, enquanto os coalas estão totalmente extintos em 47 eleitorados. Vários distritos têm apenas um punhado de animais restantes.

Em um comunicado, Deborah Tabart, presidente da fundação, atribuiu o declínio dos coalas a uma série de fatores diferentes. Mas muitos desses fatores foram sobrecarregados pelas mudanças climáticas.

“Os terríveis incêndios florestais de 2019-20, é claro, contribuíram para esse resultado”, disse Tabart. “No entanto, certamente não são a única razão pela qual vemos as populações de coalas em declínio. Testemunhamos uma redução drástica nas populações do interior por causa da seca, ondas de calor e falta de água para os coalas beberem. Eu vi algumas paisagens que se parecem com a lua, cheia de árvores mortas e vegetação seca em todos os lugares.”

Os especialistas estimam que os incêndios florestais dos últimos dois anos mataram ou deslocaram quase três bilhões de animais em toda a Austrália, incluindo cerca de 143 milhões de mamíferos como coalas, por exemplo. A mudança climática está aumentando as chances de incêndios severos nas últimas décadas. Os pesquisadores descobriram que o calor extremo, que alimentou a temporada de incêndios florestais, era duas vezes mais provável devido à mudança climática. Enquanto isso, 2020 foi o quarto ano mais quente já registrado no país, e os especialistas disseram que a pouca chuva que a Austrália viu é “parte de uma tendência de seca de longo prazo”.

“O que nos preocupa são lugares como o oeste de Nova Gales do Sul, onde a seca dos últimos 10 anos acabou de ter esse efeito cumulativo – sistemas fluviais completamente secos por anos, eucaliptos vermelhos mortos, e eles são a força vital dos coalas”, Tabart disse à Reuters. Os coalas são nativos apenas da Austrália, o que significa que foram diretamente expostos às mudanças tumultuadas que a crise climática está causando no continente.

Tabart também observou que o desmatamento em toda a Austrália para “agricultura, desenvolvimento habitacional e mineração” é uma enorme ameaça ao habitat desses animais, e interromper o desmatamento será crucial para ajudar a preservar as populações de coalas. Mas reduzir as emissões de carbono globalmente é um passo necessário para proteger os coalas (para não falar de nós). 

Assine a newsletter do Gizmodo

“Eu só acho que a ação agora é imperativa”, ela continuou. “Eu sei que pode soar como esta história sem fim de escassez e destruição, mas esses números estão certos, e provavelmente são ainda piores.”