O ponto mais profundo do oceano é a Depressão Challenger, um abismo de 8.184 metros abaixo da superfície. Poucas espécies de peixe conseguem suportar esse ambiente escuro e hostil. Mas cientistas identificaram uma espécie que prospera nele.

Imagem: Mackenzie Gerringer/University of Washington

Conheça o peixe-caracol de Mariana, ou Pseudoliparis swirei, a espécie de peixe mais profunda coletada do fundo do mar. Cientistas recolheram amostras de 7.966 metros na maior profundidade, mas seu vídeo observou alguns a 8.098 metros de profundidade — e, recentemente, uma equipe japonesa encontrou um a 8.178 metros. Isso é muito profundo.

Existem conversas sobre uma nova espécie vivendo tão profundamente assim desde uma visita em 2014 à fossa. Mas, agora, esse animal viscoso tem um nome oficial.

O peixe tem um corpo colorido carnudo, com pele transparente, através da qual seus órgãos e músculos ficam visíveis. Alguns maiores têm manchas pretas na cabeça. Cientistas das Universidades do Havaí, de Newcastle e de Washington observaram o animal em várias viagens de pesquisa entre 2014 e 2017, achando 37 espécimes em uma missão usando o navio de pesquisa R/V Falkor. O peixe recebeu seu nome em homenagem a Herbert Swire, oficial da embarcação HMS Challenger que recebe os créditos pela descoberta da Fossa das Marianas.

O peixe pode parecer bastante fetal, mas é o maior predador na fossa, onde há pouca concorrência para se alimentar de invertebrados, de acordo com um comunicado da Universidade de Washington. A equipe publicou o estudo anunciando a descoberta nesta terça-feira (28), na Zootaxa.

Não é surpresa que esse peixe-caracol escorregadio viva em tamanha profundidade — a espécie ocasionalmente é registrada lá embaixo, incluindo espécies parecidas, como a Pseudoliparis amblystomopsis. Uma análise de DNA determinou que o Pseudoliparis swirei era uma espécie diferente o tempo todo.

Prazer em conhecê-lo, peixe-caracol de Mariana. Divirta-se aí embaixo.

[Zootaxa via University of Washington]