Quando eu estava no ensino fundamental, as crianças costumavam passar para frente cópias impressas do “Livro de receitas do anarquista” de William Powell, e nos divertíamos com as maldades e o caos descritos no livro. Minha parte preferida era uma que envolvia a criação de disquetes-bomba. De acordo com o livro, com um pouco de pó e lixa de unha, você podia criar um disquete que conseguia fritar a entrada de disquetes de um computador.

Pendrive que destrói computadores é lançado por apenas US$ 55
Este pen drive consegue fritar o seu computador em segundos

Como basicamente tudo o que estava no “Livro de receitas do anarquista”, o disquete-bomba era uma mentira. Mas 20 anos depois, algumas pessoas criativas conseguiram fazer ferramentas capazes de destruir um computador.

Thomas Kim postou um vídeo no YouTube que mostra um pouco da criação caseira dele: um pendrive assassino de computadores. Usando peças de uma câmera fotográfica descartável e uma pilha AA, ele montou um pequeno taser que é conectado à porta USB de um computador. Quando ativado, ele libera 300 volts de energia, o que é mais do que o suficiente para queimar o computador que está ligado.

Como é possível ver pelo vídeo, ele definitivamente fritou o desktop que foi usado para testes.

Não é a primeira vez que vemos algo assim. No ano passado o USB Killer 2.0 mostrou como 220 volts de energia podem danificar um computador. Ele está à venda por US$ 55. Mas por que gastar US$ 55 nisso quando você pode montar um em casa?

[Boing Boing]