Um pequeno vazamento de pressão foi detectado no lado russo da Estação Espacial Internacional (ISS). Parece alarmante, mas controladores de voo dizem que os astronautas não estão sob perigo imediato.

• Astrônomos detectam diretamente ferro e titânio em um exoplaneta pela primeira vez
• A sonda New Horizons viu um possível muro de hidrogênio no final do Sistema Solar

Quando os seis astronautas a bordo da ISS acordaram no horário de costume na manhã da quinta-feira (30), eles foram recebidos com uma notícia um tanto quanto inquietante. Por volta das 20h (de Brasília) da quarta-feira (29), controladores de voo do Controle de Missão da Nasa em Houston e do Centro de Controle de Missão da Rússia, em Moscou, detectaram um pequeno vazamento no complexo. A situação não foi considerada séria ou de risco de vida. Portanto, a decisão foi deixar a tripulação da Expedição 56 dormir. Quando acordaram, os astronautas foram atualizados sobre a situação, e os procedimentos começaram a ser feitos para determinar o local do vazamento.

“Uma situação de emergência ocorreu na ISS à noite e de manhã: uma queda na pressão e um vazamento de ar a bordo da estação. Medições foram feitas para determinar a origem do vazamento”, explicou Dmitry Rogozin, chefe da agência espacial russa Roscosmos, em uma reportagem da agência TASS. “A tripulação americana se reuniu no segmento russo, e, na sequência, compartimentos foram selados, um a um, para entender o que aconteceu e onde. Como resultado, localizamos o problema.”

O vazamento foi encontrado no lado russo do posto avançado, ou, mais especificamente, em um compartimento do módulo Soyuz MS-09, que chegou à ISS em junho deste ano. À moda antiga, a tripulação usou fita Kapton para selar o pequeno buraco, enquanto uma solução melhor tem sido contemplada, diz a ABC News. O módulo Soyuz não é necessário para trazer a tripulação de volta à superfície, então os astronautas só precisam se certificar de que o vazamento parou. Não se sabe ainda o que acontecerá com o módulo.

Acredita-se que a pequena fratura se formou do lado de fora quando um micrometeorito atingiu a Estação Espacial Internacional. Tanto a NASA quanto a Roscosmos estão tranquilizando o público de que os astronautas não estão em perigo e que a estação espacial não corre risco de despressurização.

“Não será necessária uma caminhada espacial para fins de reparos”, disse Rogozin à TASS. “Se um vazamento de ar vai do interior para o espaço, então é melhor instalar uma placa precisamente a partir do interior. Devido ao fator de pressão, ela será melhor ajustada.”

Parece que tudo vai ficar bem, mas este episódio é mais um lembrete de como o espaço é um lugar perigoso.

[NASA, TASS, ABC]

Imagem do topo: NASA