Neste domingo (5), o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa anunciou que o rover Perseverance teve sucesso na extração e no armazenamento da primeira amostra de rocha de Marte.

O robô já havia tentado coletar o solo marciano em 6 de agosto, mas as amostras simplesmente desapareceram. Dessa vez, as fotografias mostram um pedaço intacto de pedra dentro de um tubo no robô, onde ficarão armazenadas até que uma futura missão a Marte possa enfim trazê-lo à Terra.

“Após uma análise cuidadosa da equipe do rover Perseverance, que envolveu o estudo de dezenas de imagens tiradas em momentos diferentes ao longo dos dias de Marte, eles determinaram que um núcleo de rocha está no tubo de ensaio”, afirma o JPL em nota publicada no Instagram. “Esta amostra única será lacrada e armazenada nos próximos dias, marcando um grande marco para a missão Marte 2020.”

O feito histórico foi realizado graças ao Sistema de Depósito e Amostragem do rover, que usa uma broca rotativa e outra de núcleo oco acopladas ao braço robótico de dois metros do robô, capazes de extrair pedaços de rochas ligeriamente mais grossos do que um lápis.

“O alvo para a tentativa de coleta de amostra foi uma rocha do tamanho de 900 metros de comprimento que contém afloramentos rochosos e pedregulhos”, afirmou a Nasa.

O feito histórico foi confirmado por imagens captadas pelo rover, que extraiu a amostra de uma rocha de 900 metros de comprimento.

Assine a newsletter do Gizmodo

Um dos principais objetivos da missão do Perseverance em Marte é a astrobiologia, incluindo a busca por sinais de vida microbiana ancestral. O rover caracterizará a geologia do planeta e o clima, abrirá o caminho para a exploração humana e será a primeira missão a coletar e armazenar rochas e regolitos marcianos.