Você já sonhou em algum momento em se transformar em uma figura de plástico de 3 cm de altura, que não pode dobrar os braços ou pernas e deve interagir com o mundo usando um par de garras como as de lagosta? O novo parque temático da Lego, que será inaugurado em Nova York em 2020, tornará este sonho realidade, usando um sofisticado rastreamento de movimento e reconhecimento facial de redes neurais.

Previsto para ser aberto em 4 de julho de 2020, o Legoland New York Resort estará localizado em Goshen, Nova York, que é cerca de 100 km à noroeste da cidade de Nova York. Quando finalizado, este será um dos maiores parques temáticos Legoland do mundo, com um rota completa de hotéis e várias atrações interativas, incluindo a Lego Factory Adventure Ride.

Como a maioria das atrações internas mais recentes que estão sendo instaladas nos parques temáticos, o Lego Factory Adventure Ride será uma experiência de passeio escuro sem trilhas — o que significa que enquanto os visitantes ainda se prendem a veículos em movimento que os conduzem por uma narrativa interativa, os próprios veículos não estarão presos a uma pista como uma montanha-russa ou a atrações mais tradicionais da Disneylândia. Essa abordagem oferece mais liberdade de movimento e flexibilidade quando se trata de projetar o passeio, além de permitir que as pessoas tenham uma experiência um pouco diferente toda vez que elas forem na atração.

Desenvolvido pela Holovis e pela ETF Ride Systems, o Lego Factory Ride foi revelado na recente IAAPA (Associação Internacional de Parques de Diversão e Atrações) Expo na semana passada em Orlando, Flórida (EUA).

Os detalhes completos da experiência de passeio não foram compartilhados, além do fato de que ela promete fazer com que os participantes se sintam parte da maquinaria encontrada dentro de uma fábrica produzindo pecinhas de plástico. O que foi revelado, no entanto, é que o passeio aproveitará a tecnologia Holotrac, da Holovis, para transformar os participantes nos icônicos personagens da Lego, semelhante à forma como ocorre com o passeio na Mansão Assombrada da Disneylândia que transforma os visitantes em fantasmas.

Carrinho no qual o participante deve estar para acontecer a transformação em LegoCrédito: Lego Group

Mas, em vez de usar espelhos e iluminação inteligente, a tecnologia Holotrac aproveita todas as tecnologias de ponta que oferecem um vislumbre preocupante do nosso futuro, onde provavelmente não se pode confiar no que os nossos olhos vêem. A Lego aproveitará as mesmas abordagens de inteligência artificial e deep learning que tornam os vídeos deepfake uma realidade, porém transformando essas pessoas em personagens baseados não apenas nos movimentos, mas também na aparência. Isso inclui copiar a cor do cabelo, óculos, jóias, roupas e até expressões faciais, que são detectadas e “legoizadas” em cerca de meio segundo.

Há uma oportunidade perdida aqui, no entanto. Enquanto os participantes da atração poderão ver suas cópias em formato de Lego em uma tela grande e controlá-los, infelizmente será uma experiência passageira. Não existe nenhuma indicação de que, quando os visitantes saírem pela loja de presentes, eles poderão comprar uma versão em miniatura de si para levar como lembrança.

Só isso já faria eu ir até o parque. Por isso, espero que a Lego aproveite ainda mais o Lego Factory Adventure Ride e ofereça a capacidade de encomendar o bonequinho com base nas características do dublê digital dos participantes.