Buracos de minhoca são estruturas cósmicas capazes de ligar dois pontos distantes do universo. O conceito, que foi encenado no filme Interestelar (2014), ainda causa dúvidas entre pesquisadores. Eles são reais? alguns dizem que não, mas estudos apontam como eles podem surgir e do que precisam para serem estáveis.

A teoria inicial vem do físico Nathan Rosen e também está presente na Teoria Geral da Relatividade, de Albert Einstein, publicada em 1915. Os cientistas estudaram equações que descrevem o buraco negro e perguntaram o que ele representava. Assim, eles descobriram que, pelo menos teoricamente, a superfície de um buraco negro pode funcionar como uma ponte que se conecta a uma outra parte do espaço.

No entanto, há dois desafios persistentes que impedem a formação de buracos de minhoca facilmente detectáveis ​​e humanamente utilizáveis: fragilidade e pequenez. Primeiro, segundo a relatividade geral, qualquer matéria que passa por um buraco de minhoca atua para fechar o túnel. Assim, deixá-lo estável requer algo extra que os pesquisadores chamam de matéria “exótica”. Em segundo lugar, os tipos de criação de buracos de minhoca que os cientistas estudaram dependem de efeitos que podem impedir a entrada de um viajante macroscópico, como um humano. É por isso que, até agora, a física gerou apenas buracos de minhoca microscópicos.

Mas um avanço ocorreu no final de 2017, quando os físicos Ping Gao e Daniel Jafferis, ambos da Universidade de Harvard, e Aron Wall, do Instituto de Princeton descobriram uma maneira de resolver isso com emaranhamento quântico — que forneceria a matéria “exótica” necessária para a estabilidade do buraco. E como o emaranhamento é uma característica padrão da física quântica, é relativamente fácil de criar. No entanto, embora o método ajude a estabilizar os buracos de minhoca, ele só forneceu os microscópicos.

Partindo daí, Nabil Iqbal e Simon Ross, físicos da Durham University, testaram a teoria para tentar produzir  um grande buraco. “Achamos que seria interessante, do ponto de vista da ficção científica, ultrapassar os limites e ver se isso poderia existir”, disse Iqbal para o site Scientific American. Seu trabalho mostrou como distúrbios nos campos magnéticos ao redor de um buraco negro poderiam, em teoria, gerar buracos estáveis. Porém, o efeito ainda forma apenas os microscópicos.

Assine a newsletter do Gizmodo

Ainda assim, as pesquisas continuam.“Estamos aprendendo que podemos, de fato, construir buracos de minhoca que permanecem abertos usando efeitos quânticos simples”, diz Brianna Grado-White, física e pesquisadora de buracos de minhoca da Universidade de Brandeis. “Por muito tempo, não pensamos que essas coisas fossem possíveis de construir, agora descobrimos que podemos.”