Acima, você vê o belíssimo novo MacBook Pro com toda a glória da tela Retina e sua bateria gigante — com os cumprimentos do iFixIt. Mas dê uma olhada mais de perto e você descobrirá que a Apple tornou virtualmente impossível mexer na sua novíssima maravilha.



Então, ahn… vamos torcer para que nada quebre.

Se por um lado o iFixIt foi bastante efusivo nos elogios ao novo MacBook Pro — todos aqueles pixels, essa bateria enorme! —, seu time não pode deixar de notar que a Apple trabalhou pesado para garantir que as partes internas permaneçam intocadas dentro da fortaleza unibody.

Quer abrir o notebook pela tampa inferior? Desculpe, há parafusos Pentalobe proprietários com os quais os donos de iPhones 4/4S e MacBooks Air já devem estar familiarizados. Upgrade com módulos de RAM de terceiros mais em conta? Não desta vez; aquela memória é soldada na placa lógica. Ah, e nem mesmo pense em colocar um SSD maior por conta própria; ele é proprietário, diferente inclusive dos encontrados no MacBook Air.

E tem mais! Lembre-se que a tela é parte da tampa agora, o que significa que você precisará trocar tudo se qualquer coisa, por menor que seja, quebrar ali. A bateria é colada, não parafusada, o que torna a sua remoção praticamente impossível. Isso, claro, levando em conta que você não destrua nada no processo.

A máquina é tão selada que o iFixIt concedeu ao novo MacBook Pro com tela Retina o título de “notebook menos consertável” de todos, ou pelo menos entre os que eles já desmontaram. E embora o argumento de que tamanha segurança ajude a manter pessoas menos experimentes longe de quebrarem seus novos e caros brinquedos, um mais forte ainda é: a Apple adoraria tomar conta dos reparos (e do seu dinheiro) através de uma Apple Store. Então, tire as suas mãos daí.

Vá lá e leia (ou só veja as fotos) o passo-a-passo completo do desmonte no iFixIt, a melhor pedida de p0rn hardware para hoje. E quando o seu novo MacBook Pro chegar, tenha muito cuidado na hora de removê-lo da caixa. Se possível, depois disso nunca mais toque nele novamente. Já pensou no prejuízo que um acidente traria? [iFixIt. Valeu, Mark!]