Bem, pessoal, a era pornográfica do Vine acabou. A equipe por trás do app – que permite enviar vídeos de até seis segundos – anunciou no blog oficial sua decisão de proibir “conteúdo sexual explícito”.

Ants, havia um aviso de que o vine poderia ser NSFW; agora, ele será deletado de vez. Não é que o Vine odeie pornô; eles só não querem isso rolando no serviço deles:

Para mais de 99% dos nossos usuários, isso realmente não muda nada. Para o restante: não temos problema com conteúdo sexual explícito na internet – nós simplesmente preferimos não ser uma fonte para ele.

Os termos de serviço atualizados deixam explícito o que o Twitter – dono do Vine – considera “conteúdo sexual explícito”: atos sexuais, closes de genitália ou “nudez em uma situação ou contexto que é sexualmente provocante (como um clube de strip-tease)” – aí não pode. Mas o nu artístico, documental ou não-provocativo continua liberado.

Não é a primeira vez que um site popular bloqueia conteúdo NSFW: o Tumblr deixou blogs de pornografia mais difíceis de encontrar. Mesmo depois de algumas mudanças, “estes blogs só aparecerão em resultados de buscas para usuários que já seguem estes blogs”, diz o FAQ.

Por que o Tumblr impôs limites a conteúdo NSFW? Provavelmente porque, após ser comprado pelo Yahoo por US$ 1,1 bilhão, ele precisa render dinheiro – especialmente através de propagandas. E é difícil vender espaço para anunciantes tradicionais em um site cheio de pornografia.

Isso pode ter estimulado o Twitter a tomar medidas semelhantes. Avaliada em quase US$ 30 bilhões, a empresa agora luta para ser rentável, e depende bastante de propaganda. O Vine pertence à empresa e também vive de anúncios. Por enquanto, ainda há bastante nudez no Twitter, mas pode ser questão de tempo.

Bem, você sempre pode enviar pornografia usando o Instagram Direct… [Vine via The Verge]