Amazon e Google estavam, digamos assim, com uma relação estremecida. Além de atuar em mercados parecidos, as empresas começaram a punir os clientes ao fazer com que o produto de uma não ficasse acessível para outra. Nesta quinta-feira (18), parece que as empresas fizeram as pazes, pelo menos parcialmente, ao anunciar um acordo.

Na prática, vai funcionar assim:

  • Quem assina o Prime Video, o serviço de streaming da Amazon, poderá transmitir para Chromecast ou televisores com Android TV — a ideia, inclusive, é ter uma versão do app do Prime Video para o sistema de TVs do Google.
  • Quem tem um FireTV, da Amazon, terá em breve o app YouTube TV e YouTube Kids.

Apesar do anúncio ser positivo para os consumidores, as empresas não deixaram claro quando isso vai estar disponível. Apenas alegam que essas funcionalidades estarão disponíveis nos próximos meses.

Entendendo a briga entre Amazon e Google

A briga entre as empresas é antiga. Para recordar o que aconteceu, temos que lembrar que a Amazon já lançou tablets e até um smartphone que tinha o Android, mas uma versão totalmente modificada sem vários serviços do Google — a Amazon tinha até uma loja própria de apps em vez do Google Play. Aparentemente, o Google não viu vantagem em desenvolver apps para a plataforma da Amazon — já que tem muito mais gente que usa dispositivos Android que aparelhos Android com a versão modificada da Amazon.

Em 2015, então, a Amazon lançou uma versão do Prime Video que só estava disponível em sua loja — o usuário tinha que baixar uma arquivo APK da loja da Amazon e, posteriormente, baixar o app de vídeo por lá. A vantagem desse processo da Amazon é que ela podia vender assinaturas de streaming sem ter que compartilhar uma porcentagem com a gigante das buscas. No entanto, o Google, por sua vez, deixou de permitir que usuários da Amazon transmitissem vídeos do celular para aparelhos com Chromecast de forma nativa.

Na sequência, de propósito ou não, a Amazon lançou o FireTV, um aparelho conectado à TV que permite transmitir os vídeos de sua plataforma e também concorrente do Chromecast, apesar de contar com mais funções. Como resultado da briga, quem tinha uma FireTV não conseguia ver vídeos no app nativo do YouTube; era necessário achar alternativas.

Resumindo: por causa de decisões passadas, as empresas passaram a retaliar uma a outra neste ramo, fazendo com que clientes tivessem de fazer uns truques para transmitir vídeos do Prime Video na TV ou ver vídeos do YouTube no aparelho FireTV.

Apesar das pazes anunciadas neste anúncio, Amazon e Google ainda têm uma briga feia por causa das suas assistentes de voz.

Quem sabe este primeiro passo de compatibilidade do YouTube na FireTV e do PrimeVideo no Chromecast signifique que as coisas sejam logo resolvidas. E, se for rolar, tomara que seja quando as duas empresas forem disponibilizar seus alto-falantes inteligentes por aqui.