A ciência e a arte podem, sim, andar lado a lado. Pelo menos, é isso que o biólogo marinho Colin Foord e o músico JD McKay têm mostrado com seu projeto Coral Morphologic, iniciado em 2007.

A dupla desenvolveu uma plataforma que busca mostrar à população as belezas da vida submarina usando a arte. Como? Com vídeos de recifes de coral misturados à músicas e até mesmo roupas de praia temáticas feitas de material reciclado. Tudo isso numa tentativa de conscientizar as pessoas quanto às mudanças climáticas. Veja mais no link abaixo.

O projeto está com uma atração fixa no porto Government Cut, em Miami, nos EUA. Sob os barcos, há uma câmera que mostra 24h por dia os corais da zona urbana. Mais de dois milhões de pessoas já passaram pela transmissão, que deve documentar um ano de crescimento dos corais. Confira aqui.

O trabalho tem mostrado à dupla como os corais urbanos podem ser resilientes, prosperando mesmo sob os barcos que atracam no porto rotineiramente. Pesquisadores da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA e da Universidade de Miami auxiliam nessas análises. 

Entender o comportamento dos corais é crucial em um momento de mudanças climáticas. Isso porque estes animais acabam sofrendo branqueamento com o aquecimento dos oceanos, tornando-se também suscetíveis a infecções, que podem causar mortes em massa nas colônias. 

Tempestades e mudanças químicas da água também podem destruir a estrutura dos recifes, que são casas de várias outras espécies. Muitos animais marinhos dependem dessas estruturas para se proteger de predadores, acessar alimentos e sobreviver. 

Abordar os recifes de coral através da arte é uma tentativa dos cientistas de aproximar os humanos do problema, tentando assim trazer a população para a causa e gerar respostas efetivas de autoridades.