Foguetes são ótimos por criarem um show pirotécnico, mas eles são grandes, volumosos e pesados. Por outro lado, propulsores de íons – apesar de parecerem ficção científica – são reais. E estes aqui, com tamanho de moedinha, podem ser o futuro para guiar pequenos satélites em órbita.

Estes “micropropulsores” foram criados por Paulo Lozano, professor de aeronáutica e astronáutica no MIT. Eles lançam feixes de íons quando recebem eletricidade.



Cada micropropulsor tem mais de 500 pontas microscópicas: cada uma delas emite uma rajada de íons e contribui para o feixe. Ao contrário de foguetes tradicionais, propulsores de íons não fornecem tanto impulso, mas no espaço isso não é muito necessário.

Estes pequenos propulsores são perfeitos para “CubeSats”, satélites com tamanho de cubo mágico que, até hoje, não tinham uma forma de ajustar sua posição quando em órbita. Como estes micropropulsores são bem pequenos e leves, eles podem ajudar a manter CubeSats em órbita mais elevada, onde eles vão durar mais – em vez de virar lixo espacial em órbita baixa, como hoje em dia.

Estes propulsores ainda não saíram da Terra, mas já foram testados com sucesso em uma câmara a vácuo. Em algum tempo, eles devem empurrar pequenos satélites para a posição exatamente certa no espaço. [MIT via Engadget]