Astrônomos encontraram uma estrela de nêutrons giratória em Andrômeda, sendo o primeiro pulsar descoberto na galáxia vizinha à nossa.

Estrelas de nêutron giratórias, ou pulsares, são comuns na Via Láctea – astrônomos especulam que existam cerca de 100 milhões delas por aqui. Mas, até agora, esse tipo de objeto celeste ainda não tinha sido observado em Andrômeda.



O pulsar em questão recebeu o nome 3XMM J004301.4+413017 e gira uma vez a cada 1,2 segundo. Ele parece estar se alimentando de uma estrela vizinha que o orbita uma vez a cada 1,3 dia.

Pulsares são restos de uma estrela que virou supernova. Feitos totalmente de nêutrons, eles são os menores e mais densos objetos estelares conhecidos.

O que os torna especiais é o fato de girarem rapidamente e emitirem energia eletromagnética. Se um deles estiver virado em direção à Terra, podemos até mesmo conseguir detectar esses pulsos de emissão de energia.

Os astrônomos ainda precisam estudar mais o pulsar para descobrir os seus detalhes, o que talvez não seja muito difícil. “Estamos em melhor posição agora para descobrir mais objetos como esse em Andrômeda, com a sonda XMM-Newton e com missões futuras como o observatório Athena de alta energia”, explicou Norbert Schartel, da Agência Espacial Europeia.

[ESA via Universe Today]

Imagem via ESA