A Apple e a Qualcomm estão brigando nos tribunais há algum tempo — e fora deles também, incluindo até uma tentativa de cutucada no mesmo dia do lançamento do iPhone X, que não deu muito certo. A Apple acusa a Qualcomm de cobrar taxas abusivas de seus produtos, em um processo que começou em janeiro de 2017. Mas, a fabricante de chips de celulares revidou com tudo, e agora acusa a fabricante do iPhone de ter roubado sua tecnologia de modems e repassado para a Intel. Como diria Xaropinho: “Rapaz!”

• O que está acontecendo entre a Apple e Intel? Um guia de especulações
• Qualcomm leva multa de US$ 1,2 bi por pagar Apple para usar seus chips em iPhones

As duas empresas tinham um acordo firmado em 2009, que permitia à Apple ter acesso a códigos de propriedade da Qualcomm com o objetivo de integrar melhor os modems aos iPhones. Desde que a relação entre as duas azedou, a empresa de chips solicitou uma auditoria no ano passado para verificar o que a fabricante tinha feito com esse material — e ouviu um “não”. A queixa do começo do ano era essa, inclusive: a fabricante dos modems acusava a gigante de Cupertino de não ter protegido de maneira apropriada sua tecnologia e compartilhado os códigos com a Intel.

A Qualcomm também solicitou que a Apple fizesse sua própria investigação sobre o assunto, depois que posts anônimos, supostamente de funcionários demitidos da Intel, apareceram na internet. Segundo esses relatos, a Apple teria dito para eles “não se preocuparem com propriedade intelectual” na hora de desenvolver seus componentes para iPhones.

Agora, a chapa esquentou, o negócio pegou fogo, o tom subiu de vez. O Verge destaca o seguinte trecho da petição da Qualcomm.

“Pelas nossas informações, acreditamos que a Apple desenvolveu e levou a cabo um complexo plano, que começou há vários anos e continuou até o presente, para roubar vastas faixas de informações confidenciais e segredos comerciais da Qualcomm e usar as informações e a tecnologia para melhorar o desempenho de soluções de chipsets que não são da Qualcomm e, em conjunto, o desempenho dos iPhones que usam esses componentes”, diz a queixa.

É de conhecimento geral que os iPhones com modems Intel têm desempenhos piores que seus concorrentes com componentes da Qualcomm no que diz respeito à velocidade na Internet — um estudo da Ookla, inclusive, ressalta isso.

A Apple nega as acusações, e diz que a Qualcomm não tem provas do que está alegando. Um porta-voz da empresa foi consultado pelo Ars Technica e deu as seguintes respostas.

“No final de agosto, a Apple entrou com uma Moção para Compelir [pedido para que a outra parte tome uma ação] nesse mesmo caso para fazer com que a Qualcomm mostrasse evidências de suas alegações, uma vez que a empresa continuou a fazê-las sem produzir comprovação”, diz a Apple.

O pedido da Qualcomm hoje também “não inclui nenhuma evidência de [suas] reivindicações”, declara a Apple.

Apesar de toda a briga, um acordo não está descartado, segundo o CEO da Qualcomm, Steve Mollenkopf. Em uma entrevista recente à Bloomberg, ele disse que as etapas do processo legal costumam mudar as perspectivas dos dois lados. Veremos se isso se concretiza ou se vem mais barraco por aí.

Você pode ver a queixa da Qualcomm na íntegra neste link.

[Ars Technica, Verge]