A disputa de especificações, números e benchmarks entre Apple e Samsung acaba de ganhar mais um capítulo: a velocidade de download dos aparelhos. E a vitória nesse duelo é da marca sul-coreana, com o Galaxy S9 se saindo melhor nos testes do que o iPhone X.

Os dados foram obtidos pela empresa Ookla, responsável pelo app e pelo website Speedtest, e analisados pela Bloomberg. A companhia coletou números dos testes realizados pelos próprios consumidores em condições reais de uso. Eles mostram que o S9 teve uma velocidade de download média de 38,9 megabits por segundo, baseado em 102 mil medições feitas nos EUA nos últimos três meses. Já o S9+ atingiu uma taxa de transferência de dados de 38,4 Mbps.

Os números dos smartphones da Apple ficaram abaixo disso. Em 603 mil testes nos últimos três meses, o iPhone X teve uma média de 29,7 Mbps. Já o iPhone 8 Plus e o iPhone 8 ficaram um pouco abaixo disso, com velocidades médias de 29,4 Mbps e 28,6 Mbps, respectivamente.

Os smartphones do Google também foram incluídos e superam os iPhones. O Pixel XL 2 entrega velocidades médias de 33,9 Mbps, enquanto o modelo menor, o Pixel 2, é um pouco mais rápido, com 34,4 Mbps. Já o Huawei Mate 10 Pro, com uma base de usuários bastante reduzida — apenas 884 telefones na amostra —, ficaram com a lanterna do teste, com velocidades médias de 22 Mbps.

A Apple oferece tanto aparelhos com peças da Qualcomm, para as operadoras Verizon e Sprint, assim como nos modelos desbloqueados, quanto smartphones com componentes da Intel, para a AT&T e T-Mobile. Uma explicação para o baixo desempenho dos iPhones, segundo a Bloomberg, pode estar nessa diferença e no software usado para trabalhar com os diferentes fornecedores.

Os modems mais recentes da Qualcomm são geralmente mais rápidos que os da Intel, mas a Apple usa software para manter a velocidade dos chips da Qualcomm próxima à dos dispositivos que usam Intel.

A velocidade menor de conexão parece não ser um problema para a Apple, que segue mostrando resultados financeiros bastante robustos, mesmo com a queda na demanda global por smartphones. No entanto, pode servir para a Samsung fazer mais um de seus comerciais provocando a marca da maçã.

[Bloomberg]