Por quase cem anos, muito se especulou sobre uma figura sombria que parecia surgir lentamente por trás de um quadro do pintor francês Edgar Degas. Agora pesquisadores usaram uma nova técnica de imagens para olhar por trás da pintura – e descobriram um retrato secreto.

A obra de arte em questão é “Retrato de uma mulher”, que foi pintada por Degas por volta de 1876. Em um primeiro momento, ela parece ser – como sugere o nome – um retrato comum de uma mulher do século 19. Mas, por volta de 1922, algumas pessoas começaram a suspeitar que havia algo incomum no quadro. Conforme a pintura envelheceu, uma segunda figura passou a surgir, ficando cada vez mais clara.



degas-2

O retrato escondido sobreposto à imagem existente. Via Scientific Reports

Os conservadores do quadro na National Gallery of Victoria, na Austrália, estavam curiosos com aquilo, mas não queriam danificar o retrato existente. Assim, usando uma nova técnica de raio-X, pesquisadores descobriram que por baixo da pintura há um outro retrato jamais visto antes de uma mulher que eles acreditam ser a modelo frequente de Degas, Emma Dobigny. Técnicas tradicionais de raio-x não eram o suficiente para revelar a imagem. Em vez disso, um detector raio-X recém-criado que usa fluorescência, chamado de detector Maia, foi o responsável pela profundidade da varredura. O processo foi detalhado em um artigo na Scientific Reports.

“Um raio-X tradicional de uma pintura depende de elementos pesados como o chumbo para absorver os raios-X e fornecer um contraste da imagem e uma informação identificatória elemental quantitativa ou específica mínima,” disse o co-autor do estudo, Daryl Howard do Australian Synchrotron, ao Gizmodo. “[O detector Maia] Nos permite varrer grandes áreas de um objeto como uma pintura em uma quantidade pequena de tempo de maneira não-invasiva.”

degas-3

Varreduras diferentes do retrato secreto que os pesquisadores usaram para descobrir a sequência da pintura. Via Scientific Reports.

As novas imagens de raio-X são detalhadas o suficiente para não apenas revelar o retrato escondido; elas também mostram como ele era em diversos estágios diferentes. Por exemplo, os pesquisadores conseguiram ver que, em um momento, Degas pintou orelhas grandes e pontudas de elfos na mulher no retrato escondido, antes de pintar por cima as orelhas de Dobigny.

Apesar de sabermos agora o que está por trás do retrato, ainda não sabemos o motivo disso estar lá. Algumas vezes as pinturas escondidas existem pelo fato de que o artista não quer desperdiçar seu material. Mas em outras há um motivo mais significativo para a pintura por cima também. O que fez Degas esconder uma pintura permanece um segredo e provavelmente ficará para sempre sem explicação, já que historiadores da arte não podem perguntar para ele o motivo.

[Scientific Reports]

Imagem de topo: à esquerda, o novo retrato. À direita, o Retrato de uma mulher de Degas, de 1876.