As profundezas do oceano estão repletas das criaturas mais horripilantes imagináveis. Você pode achar que está seguro, porque essas criaturas vivem a centenas de metros de profundidade em um abismo frio e escuro, mas a lula-vampira-do-inferno, que parece um guarda-chuvas do além, e o tubarão-cobra, literalmente um fóssil vivo, vão viver nos meandros da sua mente depois que você ler essa matéria. Aproveite esses horrores do mar profundo e tente ter um dia relaxante depois.

• A caça por medicamentos ainda não descobertos no fundo do mar
• Estas são as espécies mais incríveis que os EUA encontraram em seu último mergulho

10) Tubarão-duende

e0chupf5iu1hqfh7begl

Imagem: Wikimedia Commons

Nome científico: Mitsukurina owstoni

Habitat: O tubarão-duende já foi visto na costa do Mississippi, na Austrália e em outros lugares e pode viver a até 1.300 metros de profundidade.

Estilo de vida: Olhe para esse rostinho e me diga que ele não está sedento por sangue. O tubarão-duende é claramente um predador, mas, além disso, não temos muita ideia de seu estilo de vida. “Eles são uma espécie sobre a qual sabemos pouco a respeito”, Christopher Bird, estudante de PhD de ecologia de tubarões da Universidade de Southampton, disse ao Gizmodo. “Eles foram encontrados ao redor do mundo em casos raros. Mas o motivo de eles projetarem suas mandíbulas dessa forma característica é porque eles caçam peixes e crustáceos que se movem rapidamente no meio das colunas de água.”

Fato(s) assustador(es): Essas bestas bizarras são conhecidas por seus focinhos protuberantes e dentes assustadores. Sua pele é translúcida, então o tom rosado que você está vendo na verdade é uma espiada no seu interior.

9) Polvo Dumbo

Nome científico: Grimpoteuthis (esse é o nome do gênero, existem 17 espécies conhecidas de polvo Dumbo).

Habitat: Esses sujeitinhos bobos, com suas orelhinhas flácidas, podem viver a profundidades de três a quatro quilômetros. De acordo com o Aquarium of the Pacific, polvos Dumbo foram encontrados em muitas regiões ao redor do mundo, incluindo águas próximas a Austrália, Califórnia, Oregon e outras.

Estilo de vida: Polvos Dumbo são predadores. De acordo com o Oceana, eles vasculham o solo marinho e comem invertebrados pelágicos como krill e águas-vivas.

Fato(s) assustador(es): Claro, eles podem parecer fofos, mas imagine ser cercado de um monte dessas coisas. “Polvos Dumbo envolvem suas presas dentro de seus braços com ventosas para fazer um balão em volta delas, para depois as consumir”, Dr. Nicholas Higgs, vice-diretor do Instituto Marinho da Universidade de Plymouth, disse ao Gizmodo.

Seria como ser abraçado até a morte por crianças do jardim da infância. Embora o polvo Dumbo tenha apenas 20 centímetros de altura, nada que se alimenta primariamente de água-viva deve ser confiado.

8) Isópode gigante

krvuilvjihk7zgpp7akl

Imagem: Tach_RedGold&Green/Flickr

Nome científico: Bathynomus giganteus

Habitat: Isópodes gigantes foram encontrados saindo da costa da península de Yucatán, no México, a profundidades de 359 a 1.050 metros. Nós esperamos não encontrá-los em nenhum outro lugar.

Estilo de vida: Esses pequenos monstros, que podem crescer de quatro a 35 centímetros, são necrófagos. De acordo com um artigo de 2003 publicado no Deep Sea Research Part I: Oceanographic Research Papers, isópodes gigantes não têm nenhuma vergonha de se alimentarem de restos de lulas e peixes.

Fato(s) assustador(es): Talvez o fato mais assustador do isópode gigante seja que ele pode ficar de jejum por até cinco anos. “Fêmeas que estão com ninhadas não comem, provavelmente para evitar expor seus filhotes aos predadores”, disse Higgs. “Esses animais se alimentam de restos, então eles se expõem a outros predadores quando vão se alimentar de carcaças. Para proteger sua cria e eles mesmos enquanto cuidam da cria, eles apenas se escondem na lama.”

Sinceramente, eu tenho certeza de que eles têm uma função importante no ecossistema, mas essa barata gigante alienígena faz cada célula do meu corpo querer gritar.

7) Lophiiformes

Nome científico: Lophiiformes (esse é o nome da ordem, já que existem mais de 200 espécies desse tipo de peixe, de acordo com a NOAA).

Habitat: Segundo a National Geographic, esses peixes mal-humorados vivem basicamente no Oceano Atlântico, saindo da costa da Europa e do Noroeste da África, a profundidades de mil a três mil metros abaixo da superfície.

Estilo de vida: Predador, obviamente.

Fato(s) assustador(es): Os lophiformes são malditos peixes assustadores. Eles usam suas esquisitas lâmpadas biológicas de cabeça, que são acopladas aos seus rostos, para atrair suas presas.

“O apêndice da lâmpada de cabeça é um tecido especializado que, nas espécies de mar profundo, contém uma bactéria bioluminescente que o peixe usa para atrair presas em potencial em direção à sua boca”, Higgs disse ao Gizmodo.

6) Peixe-víbora

g7dpljfacijin1mb4nym

Imagem: Wikimedia Commons

Nome científico: Chauliodus sloani

Habitat: Peixes-víbora são encontrados em águas tropicais e temperadas ao redor do mundo e podem viver até a 2.800 metros de profundidade. Felizmente, você não vai encontrar nenhum desses na praia.

Estilo de vida: Também obviamente um predador. Olha esse maxilar inferior!

Fato(s) assustador(es): Os peixes-víbora são muito esquivos, mas quando esses monstros se revelam, é sempre ruim. A criatura tem longas presas, que funcionam como uma armadilha. Para os peixes desavisados que entram nessa armadilha, é game over.

“Acredita-se que espécies maiores são exclusivamente piscívoros e muitos engolem peixes que alcançam 63% do comprimento de seus próprios corpos”, um time de biólogos marinhos escreveu em um estudo de 2009 sobre os peixes-víbora.

5) Quimeras

zjql0yforw2yrs27wz7r

Imagem: Wikimedia Commons/NOAAS Okeanos Explorer

Nome científico: Chimaeras (nome da família)

Habitat: São raramente observadas, mas as quimeras foram vistas saindo da costa da Califórnia e do Havaí. Elas podem viver em profundidades de 500 a 3.000 metros.

Estilo de vida: As quimeras são predadoras que basicamente vivem de vermes, caranguejos e moluscos. “Existem diferentes espécies para diferentes profundidades”, Bird explicou. “Elas são criaturas completamente bizarras… têm uma mandíbula parecida com a de coelhos que as ajuda a quebrar as conchas dos solos marinhos.”

Fato(s) assustador(es): Senti-me um pouco culpada de colocá-las na lista, já que parecem tão tristes com a própria existência. Mas vamos encarar: se você visse isso nadando na sua direção no oceano, você o aceitaria de braços abertos como se fosse o Flipper? Como o tubarão-cobra, as quimeras são fósseis vivos, o que significa que essas criaturas de olhos mortos mudaram muito pouco nos últimos milhões de anos.

“Elas realmente encontraram seu nicho lá embaixo, que é comer coisas que ninguém mais consegue”, Bird explicou. “Estão fazendo coisas que nenhum outro peixe está fazendo, que nenhum outro tubarão está fazendo.”

4) Enguia pelicano

lwtkgsrwocamg0dpb1s7

Imagem: Wikipedia

Nome científico: Eurypharynx pelecanoides

Habitat: A enguia pelicano vive a profundidades de mil a 2.100 metros e já foi encontrada em regiões de água temperada e tropical ao longo de todos os oceanos.

Estilo de vida: Esse monstro é um predador que come basicamente crustáceos e peixes.

Fato(s) assustado(res): É bem claro porque esse peixe é chamado de “enguia pelicano”: sua grande mandíbula é bem parecida com a do pássaro, que é bem mais simpático. Como Higgs explicou, a imensa boca da enguia provavelmente a ajuda a engolir grandes refeições ou a fazer coisas ainda mais estranhas.

“Nas enguias pelicano como a Saccopharynx, seus portes maxilares e imensas aberturas lhes permitem engolir presas extremamente grandes”, contou Higgs. “Outras como a Eurypharynx não têm maxilares tão fortes para comer presas especialmente grandes. Nesse caso, achamos que a grande abertura se espalha como um grande pára-quedas quando próxima às presas, envolvendo-as e as impedindo de escapar.”

Céus, que jeito de morrer.

3) Lula-vampiro-do-inferno

Nome científico: Vampyroteuthis infernalis

Habitat: Esses pequenos vampiros marinhos espreitam em regiões temperadas e tropicais e podem viver em profundidades de 600 a 1.200 metros.

Estilo de vida: A lula-vampiro é detritívora. Elas comem muito plâncton morto, o que parece bem tranquilo. “Elas comem grandes quantidades de pequenas partículas de detrito animal que flutuam nos oceanos (conhecidas como neve marinha), ao passar dois finos filamentos pela água cobertos de muco que capturam a comida”, explicou Higgs.

Fato(s) assustador(es): Esse muco incomum que o Dr. Higgs acabou de mencionar? Ele também pode ser usado como um elaborado mecanismo de defesa.

“Quando ameaçada, a lula envolve seus braços sobre sua cabeça, expondo longos espinhos, mas isso parece ser um ‘blefe’, já que os espinhos são carnudos e moles”, disse. “Elas também usam bioluminescência para confundir predadores em potencial, com grandes olhos acesos, ou lançando muco brilhante na água.”

2) Engolidor-negro

a8fv8dnezmcvylze2yu2

Captura de tela via YouTube

Nome científico: Chiasmodon niger

Habitat: Esse barrigudo assustador foi encontrado em águas tropicais e temperadas dos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico e pode viver a uma profundidade de até três mil metros abaixo da superfície.

Estilo de vida: O engolidor-negro é um predador, embora seja meio ruim na sua função.

Fato(s) assustador(es): Por esses monstros viverem tão fundo, eles muitas vezes precisam comer criaturas muito maiores que eles. Às vezes, esses gênios marinhos comem coisas tão grandes que seus estômagos rompem, e eles morrem da maneira menos digna possível.

“Esse peixe é capaz de engolir algo muito maior que ele mesmo, por ter um estômago elástico que é capaz de expandir e acomodar o que quer que passe por sua boca”, Roberta Muehlheim, curadora assistente de zoologia vertebrada do Cleveland Museum of Natural History disse ao The Morning Journal.

Caso você esteja se perguntando, é assim que você morre por causa da sua última refeição:

1) Tubarão-cobra

saw3lta2dn4tmawikcyr

Imagem: Awashima Marine Park/Getty Images

Nome científico: Chlamydoselachus anguineus

Habitat: O tubarão-cobra é raramente visto, mas foi encontrado saindo da costa da Austrália. É claro que foi lá.

Estilo de vida: Predador. Olha para esse negócio e me diz que ele não é um predador.

Fato(s) assustador(es): O tubarão-cobra, que costuma ser chamado de “fóssil vivo”, já que mudou pouco em milhares de anos, é basicamente um aspirador com dentes, com 300, para sermos mais exatos. De acordo com Bird, esses dentes funcionam como velcro. “Ele tem todos esses dentes com ganchos… se você tentar pegar uma lula, que é escorregadia e se move rápido, você precisa de dentes como velcro para chegar lá e parar tudo”, ele explicou. “Quando ele captura um peixe ou uma lula, eles não conseguem escapar.”

Esse abominável saco de lixo tem 25 fileiras de dentes voltados para trás para eviscerar suas presas, o que parece um pouco exagerado. Acho que algumas mordidas com essas presas ridiculamente afiadas seriam o bastante, mas vai saber. Se você tem algo especial, é melhor se exibir, eu acho.