Estamos presenciando uma revolução. Se até há pouco toda a interação com sistemas computacionais dependia das mãos, com cliques, cursores e outras interfaces não muito naturais, hoje a situação já é um pouco melhor. Gestos, telas sensíveis a toques, voz!

O uso da voz para controlar sistemas é, sem dúvida, um dos grandes fetiches da humanidade. Filmes de ficção científica de décadas atrás já mostravam pessoas, em seus trajes prateados, falando com um (normalmente enorme) computador como quem conversa com um subordinado, ou mesmo um amigo. Cada vez mais esse cenário se aproxima da realidade.

A Qualcomm implementou um mecanismo chamado Snapdragon Voice Activation no Snapdragon 800, seu novo SoC topo de linha. Parte da Qualcomm Fluence PRO, suite de soluções de áudio integrada, ele é, na definição da empresa, um recurso de escuta sempre ligado e de baixo consumo energético. Essas duas características o diferem de outros sistemas já no mercado, como a Siri, da Apple, ou ou reconhecimento de voz do Google no Android.

A grande sacada do reconhecimento de voz do Snapdragon 800 é estar sempre disponível, mesmo na condição offline, e ser acessível sem precisar de toques ou botões – apenas a voz. Diga uma frase, algo como “olá Snapdragon”, e o aparelho ficará preparado para receber o comando. Simples, econômico e eficiente como se esperaria de algo assim.

Parece do futuro. E talvez seja ele e estamos tendo o privilégio de testemunhar seu nascimento.