Pesquisadores dinamarqueses criaram o Usain Bolt das redes. Uma equipe da Universidade Técnica da Dinamarca usou uma única fibra ótica multi-core para transferir 43 terabits por segundo, transformando esta na rede de fibra mais rápida do mundo. Eu diria que ela faz o Google Fiber parecer com uma conexão discada da AOL de 1996, feita usando uma linha telefônica ruim, num distrito rural, mas esta comparação ainda é muito boazinha com o fibra ótica do Google.

Mas então, qual a velocidade de 43 terabits por segundo? Como a Extreme Tech aponta, isto significa que você pode baixar um filme de 1 gigabyte em 0,2 milissegundos. O piscar de olhos dura, em média, entre 100 e 400 milissegundos. Isto significa que você pode baixar milhares de filmes a cada piscadela.



Ainda não está exatamente claro como os pesquisadores conseguiram isso em tão pouco tempo; talvez tenham usado um protocolo similar ao Flexigrid, uma maneira de acelerar conexões de rede por fibra desenvolvida no começo deste ano. O Flexigrid atinge 1,4 terabit por segundo, o que é extremamente rápido quando comparado ao que está disponível no mercado, mas parece uma tartaruga gorda e bêbada quando posto lado a lado aos milagrosos 43 terabits por segundo conseguidos pelos dinamarqueses. Pode ser, portanto, que eles tenham desenvolvido um protocolo completamente diferente e bem mais avançado.

O que se sabe é que o grupo da Universidade Técnica da Dinamarca não chegou nessa façanha usando algum sistema impossível de implementar. Eles usaram uma fibra da companhia de telecomunicações japonesa NTT, o que quer dizer que a coisa toda é comercialmente viável. Isto é o mais legal: esta pesquisa pode (e deve!) ser usada para acelerar conexões de rede. [Extreme Tech]

Imagem via PeterPhoto123/Shutterstock