Você provavelmente já deve ter ouvido falar que ter cabelos brancos quando jovem pode estar relacionado ao estresse. Até pouco tempo atrás, isso era apenas uma especulação. Agora, pesquisadores da Columbia University e de outros lugares dizem que encontraram uma maneira de rastrear o envelhecimento do cabelo de uma pessoa. A descoberta sugere que o estresse pode realmente deixar o cabelo das pessoas grisalho ou branco, e mais do que isso; é possível reativar a cor dos fios à medida que o nível de estresse é aliviado.  

É claro que tendemos a perder a cor do cabelo à medida que envelhecemos, já que as células dos folículos capilares param de produzir melanina. Além dos casos estudados, também houve centenas desses casos individuais documentados por médicos. Mais recentemente, estudos em animais, muitas vezes em ratos, também corroboraram a existência desse fenômeno.

Mas os ratos não são pessoas. Portanto, embora o envelhecimento do cabelo aconteça em todos os tipos de mamíferos, o processo pode parecer diferente de maneiras importantes para os humanos, inclusive no que diz respeito ao envelhecimento relacionado ao estresse. Um novo estudo, publicado esta semana na revista eLife e liderado por pesquisadores do Vagelos College of Physicians and Surgeons da Universidade de Columbia, parece ser um dos primeiros a tentar quantificar como nosso cabelo fica grisalho.

A equipe estudou quase 400 fios de cabelo individuais retirados de 14 voluntários saudáveis, com idades entre 9 e 39 anos. Os indivíduos também preencheram diários de estresse, nos quais avaliaram o nível de estresse experimentado durante qualquer semana. Em alguns desses voluntários, a equipe foi capaz de detectar o envelhecimento gradual ao longo de uma mecha de cabelo, enquanto alguns pareciam perder e recuperar a cor com o tempo. E quando eles cruzaram esta coloração intermitente com os níveis de estresse relatados pelas pessoas em seus diários, eles encontraram uma correlação sólida entre os dois, ao ponto em que uma pessoa recuperou a cor em alguns de seus cabelos durante um momento muito claro de relaxamento.

“Se você usar seus olhos para olhar um cabelo, vai parecer que é da mesma cor, a menos que haja uma grande transição”, disse o autor sênior Martin Picard em um comunicado da universidade. “Em um scanner de alta resolução, você vê variações pequenas e sutis de cor, e é isso que estamos medindo”, explicou.

O cabelo que é visível na cabeça não está vivo – é um filamento rico em queratina que é lentamente produzido e expelido pelos folículos capilares sob a pele. E graças a uma nova técnica desenvolvida pelos pesquisadores, eles foram capazes de coletar e comparar pequenas fatias de fios de cabelo de voluntários. Essas fatias de cabelo poderiam então ser usadas como os anéis dentro de uma árvore, indiretamente mostrando a saúde do folículo conforme ele criava o fio ao longo do tempo, incluindo o estado de pigmentação.

Os resultados são baseados em um pequeno tamanho de amostra, portanto, não devem ser vistos como definitivos. Mas eles podem fornecer alguns insights importantes sobre como ocorre o envelhecimento do cabelo em humanos, caso sejam posteriormente validados. Outra pesquisa recente em ratos sugeriu que, uma vez que o envelhecimento aconteça, é praticamente irreversível. Apesar disto, a pesquisa de Picard sugere que há uma beira mais flexível de envelhecimento nas pessoas, onde o estresse pode inclinar a balança de uma forma ou de outra.

Para ter um exemplo na prática, Picard disse que “houve um indivíduo que saiu de férias e cinco fios de cabelo branco dessa pessoa voltaram a escurecer durante as férias, sincronizados no tempo”.

Além de simplesmente estudar a cor de um fio de cabelo ao longo do tempo, os pesquisadores também encontraram mudanças sutis nos níveis de proteína em cabelos que perderam a cor. Um banco de dados foi usado para criar um modelo matemático de estresse relacionados com o envelhecimento, exemplo que eles esperam que um dia possa ajudar os cientistas a acompanharem como as experiências de vida das pessoas afetam sua saúde. Só não espere que suas próximas férias restaurem repentinamente seus cabelos grisalhos de volta a uma cor vibrante, especialmente se você já for mais velho.

Assine a newsletter do Gizmodo

“Na meia-idade, quando o cabelo está perto desse limite por causa da idade biológica e outros fatores, o estresse vai empurrá-lo para além do limite e fazer a transição para o grisalho”, disse Picard. “Mas não achamos que reduzir o estresse em uma pessoa de 70 anos que é grisalha há anos vai escurecer seus cabelos ou aumentar o estresse em uma criança de 10 anos será o suficiente para tornar seus cabelos inteiramente grisalhos.”