Se julgássemos o novo Mate 20 e Mate 20 Pro como patinadores olímpicos, eles sem dúvida ganhariam notas 10 em todos os quesitos por mérito técnico. Isso porque, embora eles não tenham uma caneta stylus, a nova dupla de telefones da Huawei oferece quase todos os outros recursos que você poderia desejar, e eu não me refiro apenas às coisas fáceis.

• [Review] Google Pixel 3: um outro jeito de fazer um baita smartphone
• [Review] OnePlus 6: o melhor Android para quem não quer gastar tanta grana

Estamos falando de escaneamento facial 3D completo, sensor de impressão digital embutido na tela, três câmeras na parte de trás (incluindo uma com zoom de 3x no Mate 20 Pro) e até carregamento reverso sem fio, que pode ser usado para o abastecer seus outros gadgets. E, com opções de cores ainda mais marcantes, um chassi mais elegante e especificações líderes de classe, o Mate 20 ganha notas altas por arte e execução também.

Huawei Mate 20 e Huawei Mate 20 Pro

O que é?
A última dupla de telefones de topo de linha da Huawei.

Preço
Cerca de US$ 1.000 pelo Mate 20 ou cerca de US$ 1.200 pelo Mate 20 Pro

Gostamos
Opções de cores bonitas, bateria de longa duração, câmera traseira tripla, mais recursos que qualquer outro telefone disponível no mercado.

Não gostamos
Caro; o Mate 20 Pro não tem saída para fone de ouvido.

Sério, olhe para eles. Especialmente quando pintado com a típica pintura crepuscular da Huawei, não é difícil imaginar o Mate 20 no gelo, patinando e saltando, de tão elegante que ele é. A Huawei até prestou atenção a pequenos detalhes, tanto dentro quanto fora, em coisas como os botões de energia de cores vivas dos telefones ou de todas as melhorias na EMUI 9, a skin feita pela marca para o Android. Ao contrário do sistema do Galaxy Note 9, o EMUI é baseado na versão mais recente do Android 9 Pie e inclui ajustes para ajudar a reduzir os excessos do menu, opções úteis como um tema escuro integrado e várias maneiras de personalizar sua interface do usuário.

Um tema escuro nativo. Yes! Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Dito isso, é um pouco desanimador ver aplicativos como o Booking.com e o eBay pré-instalados, especialmente em celulares que custam em torno de US$ 1.000. Também percebi que, ao tentar pesquisar os principais recursos, como o Huawei Performance Mode, não consegui encontrá-los usando a barra de pesquisa no menu de configurações. Por isso, apesar dos esforços da Huawei para simplificar as inúmeras opções em um telefone e tornar as coisas mais fáceis de encontrar, ainda há espaço para deixar as opções do dia a dia ainda melhores e mais refinadas.

Quanto aos vários modelos Mate 20’s, o Mate 20 Pro é o mais luxuoso dos dois. Embora ofereça uma tela ligeiramente menor de 6,39 polegadas (contra 6,5 polegadas para o Mate 20 padrão), o painel é OLED em vez de LCD, e a resolução, ligeiramente maior, o que resulta em imagens mais nítidas e vibrantes. Isoladas, as duas telas parecem boas, mas lado a lado, a diferença é óbvia.

Mais importante que isso, porém, é que o Mate 20 Pro vem carregado de tecnologia. Ele tem mais memória RAM básica, um leitor de impressão digital na tela, que parece ainda mais rápido do que o do OnePlus 6T, e um entalhe realmente útil, que inclui um projetor de infravermelho 3D que examina seu rosto da mesma maneira que o Face ID da Apple. Para as pessoas preocupadas com segurança, essa é uma atualização significativa em relação ao reconhecimento de face 2D, mais simples e encontrado em quase todos os outros telefones Android.

Uma maneira fácil de diferenciar o Mate 20 e o Mate 20 Pro é por seus entalhes. O Mate 20 só precisa de um pequeno pedaço para abrigar em sua câmera frontal solitária, enquanto o Mate 20 Pro precisa de um entalhe maior para caber toda sua tecnologia de digitalização de face 3D. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

E nem tudo é lantejoulas brilhantes e tecnologia reluzente. A dupla também conta com classificação IP68 para resistência à água e à poeira, um novo processador Kirin 980 da Huawei e até mesmo um disparador de raios infravermelho embutido, que permite usar o telefone como um controle remoto para TV. E não é a primeira vez que a Huawei faz isso, mas ainda acho irritante que somente o Mate 20 padrão ofereça um conector de fone de ouvido.

Infelizmente, o Mate 20 padrão é o único que oferece saída para fone de ouvido. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Ambos os Mate 20’s também oferecem excelente duração. O modelo padrão conseguiu 15 horas e 15 minutos no nosso teste. Isso é uma hora a mais do que o Galaxy Note 9 (14:11). Seu irmão mais caro não se saiu tão bem, mas, mesmo assim, graças a uma bateria ainda maior, de 4.200 mAh, o Mate 20 Pro tem bastante capacidade para energizar sua tela de alta resolução e seus componentes mais famintos por energia e durar um ótimo tempo de 14h06.

No uso normal, isso significa que ambos os telefones quase sempre terão um excesso de energia. Portanto, a Huawei procurou uma maneira de tornar essas reservas úteis e incluiu o carregamento sem fio reverso. Encontrar o ponto certo para carregar outros dispositivos, como fones de ouvido sem fio ou até mesmo outros telefones, pode ser um pouco complicado, mas esse recurso é algo que adoraria ver em mais telefones no futuro. Ele é funciona de maneira bem simples. Basta ir nas configurações da bateria, apertar o botão para o carregamento reverso, e, então, encostar um dispositivo compatível com carregamento sem fio Qi nas costas do Mate 20. Nenhum fio é necessário.

Mas os destaques do longo show da Huawei são as câmeras triplas na parte de trás. Para este teste, passei a maior parte do meu tempo usando o Mate 20 Pro, já que o Mate 20 padrão possui uma configuração quase idêntica e uma qualidade de imagem semelhante à obtida no P20 Pro, lançado pela Huawei no início deste ano. Mas o Mate 20 Pro vai além nas possibilidades, com uma nova lente grande angular para todas as suas grandes necessidades de captura de paisagens abertas, a mesma câmera principal de 40 MP anterior e uma nova câmera de 8 MP com zoom de 3x.

Levando em conta apenas a qualidade de imagem, o Mate 20 Pro é quase certamente o maior rival do Pixel 3 quando o assunto é fotografia. Mas, quando você adiciona os recursos dessas lentes extras e sensores sobre todos os truques de software da Huawei, o Mate 20 Pro possui o maior e mais robusto kit de ferramentas de fotos de qualquer telefone no mercado. O número de modos de foto por si só é impressionante — a Huawei oferece opções para coisas como pintura clara, timelapse, digitalização de documentos e muito mais. Há até um modo submarino projetado para uso com um estojo à prova d’água especial, para que você possa tirar fotos enquanto nada. E se não fosse pelo recém-lançado modo Night Sight do Google, o modo noturno da Huawei teria as mais impressionantes capacidades de pouca luz do mercado.

No entanto, quando se trata do zoom de 3x do Mate 20 Pro, descobri algo peculiar. De acordo com suas especificações, a lente zoom possui um sensor de 8 MP, mas quando você aperta o botão 3x no aplicativo da câmera e tira uma foto, a resolução da imagem resultante é 3648 x 2736, que é efetivamente 10 megapixels, mesmo tamanho que as fotos tiradas da câmera principal do telefone. Isso faz você imaginar quantos dados a lente de zoom 3x do Mate 20 Pro está realmente acumulando e quantas informações o telefone está obtendo das outras lentes nas costas. O que é ainda mais estranho é que a lente grande angular não parece sofrer com isso, já que as imagens capturadas por ela são de 5120 x 3840, o que corresponde à sua especificação listada de 20 MP.

É possível que grande parte do trabalho pesado seja compartilhado entre a câmera principal de 40 MP e o sensor de zoom de 8 MP, e que a Huawei esteja usando algum tipo de fotografia computacional para atingir esse zoom de 3x, mas neste momento é bastante seguro dizem que o zoom do Mate 20 Pro não é de natureza puramente óptica. Entrei em contato com a Huawei para obter mais informações sobre a câmera zoom do Mate 20 Pro e atualizarei o review se eu receber uma resposta.

O Mate 20 tem muitos truques de foto em sua manga. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Mas, talvez, o maior problema com a captura de fotos do Mate 20 Pro seja quando o ajuste de foto por inteligência artificial da Huawei fica excessivamente agressivo. É perturbador ver cores entrando e saindo enquanto os algoritmos de aprendizado de máquina da Huawei detectam coisas como comida ou flores. Em uma foto que eu tirei de algumas maçãs, o Master AI da Huawei fez com que parecessem radioativas quando comparadas a uma imagem capturada por um Pixel 3. Felizmente, você pode descartar esses aprimoramentos se as coisas parecerem instáveis. Também dá para desabilitar o Master AI por inteiro usando um botão nos menus de configuração. Eu não faria isso, porém, porque quando funciona, as fotos tiradas pelo Mate 20 Pro desafiam suas origens de meros smartphones. E isso é bom.

De fato, depois de testar o Mate 20 e Mate 20 Pro, pude ver a qualidade permeia ambos os dispositivos. Mesmo com toda a sua tecnologia inovadora, você não se depara com bugs ou erros que você poderia esperar de algo tão inovador. A maior desvantagem do Mate 20 é o preço, que começa em cerca de US$ 1.000 para a versão padrão, e sobe para US$ 1.200 para o Mate 20 Pro.

Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

No entanto, como alguns dos momentos de patinação artística mais memoráveis, há uma última questão na hora do julgamento. Isso porque, depois de questionamentos sobre a segurança e confiabilidade da Huawei feitos no início deste ano por organizações como FBI e CIA , a Huawei não produziu uma variante específica dos EUA do Mate 20, como aconteceu em seus três telefones anteriores da série Mate. Tecnicamente, você ainda pode comprar o telefone por meio de varejistas como a Amazon, mas apenas como um modelo internacional desbloqueado, o que significa que o telefone pode não oferecer suporte a recursos específicos da operadora, como RCS ou chamadas de Wi-Fi.

Assim, para muitos americanos, em vez de o Mate 20 ser uma alternativa bem-vinda e tecnicamente mais avançada ao duopólio da Apple e da Samsung, o telefone provavelmente será desqualificado. Esse é um sentimento que dói como um tiro no joelho, porque o Mate 20 é um telefone muito bom, mas que, nos EUA, não poderá ser apreciado plenamente.

No Brasil, ainda não há previsão de chegada deste ou de outros modelos da Huawei. A companhia anunciou uma parceria com a Positivo para comercializar seus produtos no País e lançou seu site nacional, mas, por enquanto, nenhum telefone está à venda por aqui.

Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Anotações:

  • O Mate 20 Pro tem mais recursos tecnológicos (além de alguns truques de câmera inteligentes) do que qualquer outro telefone feito este ano.
  • A Huawei ainda oferece as melhores opções de cores entre todas as fabricantes de celulares.
  • Ambos os telefones oferecem uma fantástica autonomia da bateria, com o Mate 20 padrão (15 horas, 15 minutos) batendo o Mate 20 Pro (14 horas, 6 minutos) em cerca de uma hora.
  • As principais diferenças entre o Mate 20 e o Mate 20 Pro é que o Mate 20 tem uma tela LCD 2244 x 1080 de 6,53 polegadas (versus uma tela OLED menor, mas com resolução superior, de 6,39 polegadas e 3120 x 1440) e um conector de fone de ouvido, mas não possui o leitor de impressões digitais na tela, tecnologia de digitalização 3D, e zoom de 3x encontrado no Mate 20 Pro.
  • Nos EUA, o Mate 20 e o Mate 20 Pro só estarão disponíveis como telefones internacionais desbloqueados, portanto, o suporte a recursos específicos da operadora, como chamadas Wi-Fi ou agregação de operadoras, pode ser irregular.