O maior obstáculo à compra de um PS3 para a maioria das pessoas (ao menos nos EUA) é o preço. A Sony acabou de pegar esse obstáculo e diminui-lo. Você agora está 100 dólares mais propenso a comprar um PlayStation 3.

A Diferença



O PlayStation 3 Slim é mais parecido do que você imagina com o modelo atual gordão. A Sony tem lentamente cortado coisas do PS3 há um certo tempo, e isso inclui portas USB, entradas para cartões de memória diversos e a retrocompatibilidade com o PS2. Tanto que o degrau para um Slim agora nem é tão alto (ou baixo), comparado com o que era se você estivesse migrando de um modelo de lançamento do PS3.

O que você ganha com o Slim é o tamanho menor, consumo de energia reduzido e um preço mais atraente. O baixo consumo de energia vem parcialmente do processo de manufatura a 45 nanômetros (nm), e garante uma redução de 34% no consumo — falando em porcentagens, o console também é 32% menor e 36% mais leve. O Slim também oferece a possibilidade de fazer bitstream por Dolby TrueHD e áudio DTS-HD, algo que só é importante para os audiófilos com um sistema de som moderno em casa. Você também ganha um acabamento em matte, que faz o console parecer menos "premium", mas também elimina o enorme problema que fazia o PS3 antigo parecer um leitor de impressões digitais e um ímã de pó. No fim das contas, o saldo das diferenças é positivo.

A Experiência

Por ser basicamente o mesmo console, as únicas diferenças que você perceberá na utilização são as audíveis. Como dissemos no nosso hands-on, o drive de disco do PS3 Slim faz mais barulho que o do PS3 original. Pense nessa diferença como a de um drive de disco de um laptop versus o de um desktop. Quando ele está procurando alguma coisa no disco, ele faz um barulho maior. O barulho não é maior ao assistir filmes em Blu-Ray, já que a leitura do disco é toda sequencial, e mesmo nos games não ocorre com tanta frequência, já que a maior parte deles instala bons pedaços do jogo no disco rígido.

Fora isso, bem, ele roda os mesmos jogos e filmes.

 

 

A Conclusão

Pense no PS3 e no PS3 Slim dessa forma. Você tem duas esposas (sei lá, imagine que você é o Bill Paxton). Noventa e cinco por cento do tempo as duas fazem praticamente as mesmas coisas. Uma é um pouco mais cheinha, enquanto a outra é um pouquinho mais esbelta. A mais magra é quieta e calma na maior parte do tempo, mas às vezes começa a tagarelar alto quando não consegue encontrar alguma coisa. Ela também te dá menos despesas e… tem um acabamento em matte? Ok, a metáfora foi um fracasso, mas deu pra ter uma ideia. É basicamente o mesmo console, só mais magro e mais barato.

Então a única questão que resta é se você deve ou não comprar um PS3 agora ou esperar até setembro pelo modelo Slim. Ambas as opções custam U$ 300, mas se você faz questão de poder rodar Linux, vai ter que pegar o modelo gordo enquanto é tempo. Se bem que provavelmente as três pessoas que querem fazer isso já devem ter seus PS3.

Ao reduzir o preço e fazer um aparelho mais econômico, a Sony finalmente quase aniquilou a diferença entre o seu console e o da Microsoft, sem contar que agora ele é ainda mais o melhor custo-benefício em termos de players de Blu-Ray. Agora só falta trazer mais jogos. [Amazon]

 

 Mais leve, magro, econômico e barato

 Pega bem menos sujeira e marcas de dedos

 Acabamento matte e novo look quadradão pode ser bacana para uns e nojento para outros

 Precisa de um suporte de 24 dólares para ficar estável na vertical

 Continua a tradição de remover coisas (portas USB, retrocompatibilidade, suporte ao Linux)