Todo mundo quer mandar algo para o espaço, literalmente. E, mantendo sua tradição de fugir de alguns padrões estéticos, o Japão planeja mandar um rover em formato de “bolinha” para a Lua ainda este ano.

A Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA) fez uma parceria com a Sony, a Doshisha University e a fabricante de brinquedos Tomy para enviar um veículo espacial transformador quase do tamanho de uma bola de beisebol para o espaço, mas precisamente para a lua.

O objetivo da missão é coletar amostras de poeira lunar, conhecida por ser altamente corrosiva para roupas de astronautas, aparatos tecnológicos e a pele humana, bem como tirar fotos de sua região de atuação.

Segundo a (JAXA), a missão também servirá para testar a tecnologia do “rover bolinha”. O SORA-Q, como é chamado será o segundo desenvolvido pela empresa japonesa ispace – ela também assina a criação do rover “Rashid” para os Emirados Árabes Unidos.

Assim como um “transformer”, o SORA-Q transformará em um rover com rodas semiesféricas em cada lado e abrirá uma câmera na parte superior com lentes voltadas para frente e para trás. As rodas do rover permitirão que ele role na maioria das superfícies lisas como um veículo de duas rodas.

Ambos os veículos de exploração viajarão no mesmo lançamento. Caso a missão seja bem-sucedida, o Japão e os Emirados Árabes Unidos se juntarão ao pequeno clube de nações para naves espaciais de terra macia na Lua, depois da Rússia, Estados Unidos e China.

Não há tantos detalhes disponíveis sobre o robô japonês, que ainda está em desenvolvimento. O design, de acordo com fotos e dados fornecidos em um comunicado de imprensa da JAXA, parece ser uma esfera de três polegadas (80 mm) de diâmetro que se abre para rolar na superfície lunar em duas rodas.

Assine a newsletter do Gizmodo

“O robô lunar transformável será um robô ultracompacto e ultraleve que pode atravessar o ambiente lunar hostil”, afirmou a JAXA.

Não foram divulgadas mais informações de quando exatamente o robôzinho será enviado a Lua. Até o momento, sabe-se apenas que será ainda em 2022.

Leia também: Para cientistas, existir vida em lua de Júpiter é um cenário possível.