Nesta fortíssima peça de moralidade, um jovem observa de perto os prós e contras de pegar gatinhas (e seus cães robóticos) usando um desajeitado cyber-amigo bípede. A melhor parte é a narração traduzida do japonês.

Putz! Não acredito!
Oh! Desculpe-me. Meu cão fez alguma coisa extraordinária.
Não, não, meu robô “Retrô” pifou. Sou eu quem deve pedir desculpas. Ele a assustou.
Quer dar uma saída? Eu pago um café pra você pra compensar.

 

Moral da história? Se você não consegue conversar com a única pessoa com quem você compartilha um cubículo, sabe, aquela garota que lê a revista Você S/A, descubra uma maneira de fazer o seu robô pessoal pifar, obrigando o cão eletrônico dela a fazer alguma coisa extraordinária. Isto vai assustá-la, permitindo então – mas só então – que você pule toda e qualquer introdução e convide a Vênus para um café. Sabe, “pra compensar”. [YouTube via BotJunkie]