Todo dia parece que tem notícia sobre roubos envolvendo criptomoedas. No entanto, ladrões na Islândia elevaram a um outro patamar a categoria de assaltos envolvendo moedas digitais: eles roubaram 600 computadores usados para minerar bitcoins e outras criptomoedas.

Esta criptomoeda doida colocou a foto de Ryan Gosling como designer da equipe
Homem que jogou fora 7.500 bitcoins agora vai mergulhar em aterro sanitário para achar a fortuna

Onze pessoas já foram presas sob a acusação de terem conexão com a “maior série de roubos” já registrada na Islândia”, segundo a Associated Press. A maioria das criptomoedas precisam de um sistema de mineração, no qual são colocados mais computadores em rede para tentar resolver equações complexas. Isso exige muito poder de processamento, e não é muito prático para quem não é profissional.

Você precisa de equipamento e recursos para superar as operações de mineração montadas por quem é do ramo. Da Associated Press:

Os poderosos computadores, que ainda não foram encontrados, valem quase US$ 2 milhões. Mas se o equipamento roubado for usado para seu propósito original — criar novos bitcoins — os ladrões poderiam ter um altíssimo lucro de uma moeda que não deixa vestígios e sem precisar vender os itens.

“Este é um roubo imenso, em uma escala que nunca vimos antes”, disse Olafur Helgi Kjartansson, comissário de polícia da península de Reykjanes, uma das cidades em que ocorreu dois roubos. “Tudo indica que foi um crime muito bem planejado.”

Na sexta-feira, um juiz ordenou que dois dos 11 suspeitos continuem em custódia, enquanto continua o mistério de onde foram parar esses equipamentos. Em fevereiro, o CEO da Advania Data Centers disse ao Visir, um veículo de imprensa loca. que os ladrões foram captados por sistemas de seguranças em um dos data centers na companhia em Reykjanesbær. Ele se negou a dizer o que exatamente foi roubado por causa de uma investigação em curso.

A polícia só começou a falar dos incidentes recentemente para chamar a atenção para este tipo de atividade. Eles também pediram para provedores de internet, empresas de eletricidade e espaços de armazenamento imediatamente reportem qualquer uso esquisito de energia em excesso. A Islândia se tornou um local popular para mineração de criptomoedas. Segundo o Washington Post, o país produz 80% de sua energia via usinas hidrelétricas e o baixo preço da energia tem atraído tantos mineradores que os moradores têm medo de que a rede posso não aguentar por causa dessas atividades.

Não vai ser nada prático montar um sistema de mineração na Islândia com os 600 computadores roubados. Com uma população de menos de 340 mil pessoas, o país é pequeno e dificilmente um data center ficaria fora do radar das autoridades. Existe grande possibilidade de os equipamentos já terem sido levados para outros países.

O famoso ladrão norte-americano Willie Sutton dizia que ele roubava bancos, pois “era onde o dinheiro estava”. Roubar equipamento para minerar criptomoeda é quase uma evolução dessa frase de Sutton. Só que agora parece mais como roubar a casa da moeda que o dinheiro em si.

[Associated Press]

Foto do topo por Unsplash