Ming-Chi Kuo, conhecido por acertar suas previsões sobre a Apple, revelou que, apesar das preocupações com o coronavírus, a empresa tem alguns planos para sua linha de produtos para 2020.

Para começar, Kuo observou que a companhia planeja lançar novos modelos MacBook Pro e MacBook Air no segundo trimestre de 2020 com teclados tesoura. De acordo com o MacRumors, é provável que o modelo do MacBook Pro a que Kuo se refere seja o de 14 polegadas, e que o modelo de 13 polegadas seja descontinuado.



A Apple recentemente voltou a apostar em teclados tesoura após a falta de popularidade dos teclados borboleta no MacBook Pro de 16 polegadas. Os teclados borboleta, criticados pelas teclas pegajosas e sem resposta, são tão terríveis que a Apple finalmente começou a oferecer reparos em 2018 de graça e reembolsos para quem gastou dinheiro com isso. Até o diretor Taika Waititi discursou sobre os teclados no Oscar no início deste ano.

Parte do motivo pelo qual a Apple pode voltar aos teclados tesoura é o sucesso do MacBook Pro de 16 polegadas, de acordo com Kuo. O que, literalmente, qualquer pessoa que já teve um teclado borboleta lhe dirá, “é óbvio”.

Além disso, há o boato de que poderíamos ver Macs equipados com ARM no final deste ano, possivelmente na forma de um MacBook. Esse rumor também veio através de Kuo, mas há poucos detalhes sobre isso. Kuo observou que ele espera ver uma grande reformulação em 2021 para MacBooks, embora não esteja claro como isso pode ocorrer. Segundo o 9to5 Mac, é provável que a mudança gradual da Intel para ARM comece com os laptops, mas será necessário avisar aos desenvolvedores muito antes do hardware cair. O WWDC seria a ocasião mais óbvia, mas não sabemos se o evento ainda vai ocorrer em junho, considerando a onda de conferências sendo canceladas devido a temores de coronavírus.

Enquanto isso, a Fast Company informou que pelo menos um dos iPhones programados para lançamento este ano terá uma câmera de profundidade 3D. Essencialmente, ela erá capaz de medir a distância entre o telefone e os objetos e superfícies ao redor – em outras palavras: olá, realidade aumentada. Supostamente, a Apple recrutou a Lumentum, uma empresa sediada em San Jose para fornecer os lasers VCSEL ao sensor de profundidade 3D, necessários para esse tipo de câmera funcionar.

Isso não é exatamente uma nova tecnologia. A Apple utiliza sensores VCSEL em sua câmera TrueDepth desde 2017 com o iPhone X para recursos como Face ID, animojis e selfies em modo retrato. Esta seria apenas uma versão mais robusta disso. Isso também condiz com relatos recentes de que a Apple está trabalhando em um novo aplicativo de realidade aumentada chamado “Gobi” no iOS 14.

É claro que, embora esses rumores venham de fontes confiáveis, eles ainda são apenas rumores. A Apple poderia muito bem estar trabalhando em todas essas coisas, mas a empresa tem um histórico de adiar anúncios de recursos sobre os quais já existem boatos circulando (por exemplo: rastreamento nativo do sono no Apple Watch) ou descartá-los completamente se a empresa simplesmente não estiver satisfeita. Teremos que esperar e ver quantas dessas supostas mudanças realmente serão concretizadas.