Os provedores de internet na Rússia estão se preparando para conduzir exercícios que ajudarão a nação a construir um caminho para a possível independência da internet, de acordo com os noticiários russos.

O veículo de imprensa russo RosBiznesKonsalting informou que os testes foram iniciados por uma proposta de lei chamada Programa Nacional de Economia Digital, que o parlamento apresentou em dezembro. Os testes devem ajudar as autoridades russas a determinar se os dados utilizados pelos usuários russos podem ficar dentro das fronteiras da Rússia.

O ZDNet e a BBC noticiam que o primeiro rascunho da lei exige que os provedores de internet desliguem a internet do resto do mundo para que as autoridades russas possam determinar se a rede de internet da Rússia, a Runet, pode operar independentemente se ela for desconectada por meio de um ataque cibernético. No entanto, não está claro na reportagem russa inicial se os provedores de internet irão realmente desconectar a internet na Rússia como parte desses testes.

O plano foi desenvolvido em meio a ameaças da OTAN de combater os ciberataques da Rússia. Em outubro de 2017, o secretário geral da OTAN criticou a Rússia por seu “padrão de comportamento imprudente, incluindo uso da força contra seus vizinhos, tentativas de interferência em processos eleitorais e campanhas generalizadas de desinformação”. E os Estados Unidos ofereceram suas habilidades de guerra cibernética à OTAN, caso a organização optasse por combater os ataques da Rússia.

Mas o caminho do país governado por Vladimir Putin rumo a uma internet local isolada já existe há algum tempo. O governo russo anunciou planos para lançar uma “internet independente” no final de 2017. A Rússia vem construindo seu próprio Sistema de Nomes de Domínios (DNS) localizado há alguns anos. Um DNS localizado alternativo permitiria que a Runet funcionasse sem acesso a servidores localizados em todo o mundo.

O ZDNet, primeiro a veicular a notícia nos Estados Unidos, aponta que os experimentos devem ser realizados antes do prazo final para envio de emendas à lei do Programa Nacional de Economia Digital, que é 1º de abril. O ZDNet também destaca que, segundo a lei, os grupos de telecomunicações teriam de instalar um meio para combater uma ameaça de ataque cibernético, principalmente redirecionando todo o tráfego russo para pontos de troca supervisionados pelo Roskomnadzor, órgão regulador federal de comunicações da Rússia (além de mecanismo de censura).

O Roskomnadzor pagaria pela instalação de quaisquer ferramentas necessárias para esse plano — significando que o governo russo bancaria uma nova infraestrutura que lhe daria mais controle sobre a internet dentro do país, permitindo que a aproximação do tipo de regulamentação online que existe no famoso Grande Firewall da China.

O site RosBiznesKonsalting informou que uma fonte do Kremlin disse ao veículo russo que o presidente Vladimir Putin apoia a lei proposta.

[RosBiznesKonsalting, ZDNet, BBC]