A Samsung mostrou muita coisa legal nesta CES. Confira neste post um resumo do que de melhor ela apresentou em seu maravilhoso estande além da finíssima tela 3D de OLED com 1,6 mm de espessura e do laptop com tela de OLED transparente. Aviso: o post tem muitas imagens.

 
IceTouch

A maior atração desse PMP é a sua touchscreen de AMOLED transparente, que exibe a interface TouchWiz Sweep. Oferece suporte aos formatos MP3, WMA, OGG, FLAC, AAC, M4A, WAV, MP3HD, MPEG4, WMV, H.264, Xvid e DivX. É branco, mas pode ser customizado com skins coloridas (rosa, azul, roxo e cinza).

O Giz US reagiu com certo ceticismo ao anúncio inicial, mas a editora colaboradora Rosa Golijan elogiou bastante o IceTouch ao experimentá-lo no evento. O aparelho é bem ergonômico, e a fantástica tela transparente pode ser espelhada, permitindo que o usuário controle o dispositivo por meio de toques na parte de trás do display.

 
Tocadores de Blu-ray

Foram apresentados quatro modelos: BD-C7500, BD-C6900, BD-C6500 e BD-C5500. Os destaques são os dois primeiros. Com apenas 2,8 cm de espessura, o BD-C7500 foi projetado para ser montado na parede. A atração do BD-C6900 é a reprodução de conteúdo em 3D. Todos, com exceção do BD-C5500, têm conexão Wi-Fi.

 
Televisores de plasma

As séries 8000 e 7000 das TVs de plasma da Samsung têm como grande atrativo a exibição de conteúdo 3D. A 6500, série de entrada, aparentemente não conta com esse recurso.

 
Televisores de LCD

A Samsung não desistiu do plasma, mas investe mesmo é no LCD – e tem dado certo, visto que a empresa diz dominar 80% do mercado norte-americano de televisores com iluminação por LED.

Nesse segmento, sua grande atração foi a C9000, um aparelho “ultrafino” com suporte a conteúdo 3D e controle remoto cuja touchscreen pode exibir imagens de fonte de vídeo diferente da utilizada pela telona do televisor.

Parte dos componentes da TV está em sua base, que pode ser instalada nas costas do aparelho caso o usuário queira pendurá-lo na parede. Mas a real atração é mesmo o seu controle, que o Giz US comparou ao iPhone a celulares da própria Samsung. Ele controla a TV por meio de rede Wi-Fi (na qual o aparelho também estará conectado). A tela é de LCD (nada de OLED). Ao navegar pelos canais, o controle usa o sintonizador da TV para captar a imagem – se você gostar de algo que está passando, basta um toque para o conteúdo aparecer na telona. O acessório também pode exibir imagem de um servidor DLNA na sua rede, inclusive de vídeos em 1080p.

As séries 8000 e 7000 também têm suporte a conteúdo 3D – ao contrário das séries 6500 e 5000, mais baratas.

 
Cartão de identidade com display de OLED

Como é possível notar, a Samsung investe forte no OLED. A ideia aqui é que cartões de identidade eletrônicos que armazenar informações biográficas e imagens poderiam exibir esses dados em um display de OLED que seria ligado por um tipo de leitor de radiofrequência (RFID).

 
Câmeras

A CL80 e a TL240 são duas compactas com sensor de 14,2 megapixels, zoom óptico de 7x, gravação de vídeo a 720p e 30 quadros por segundo no formato H.264 e conexão HDMI. A maior diferença entre as duas é que a primeira oferece opções extras de conectividade: Wi-Fi (com suporte a DLNA) e Bluetooth. Outra vantagem da CL80 é a touchscreen de AMOLED de 3,7 polegadas – a tela da TL240 é de LCD e tem 3,5 polegadas, mas também é sensível ao toque.

 
Leitores de e-book

Mais uma categoria de gadget entra no portfólio da Samsung. Ela lançou dois leitores de e-book, o E6 (tela de seis polegadas) e o E101 (dez polegadas), que permitem escrever na tela usando uma caneta stylus – funcionalidade ausente no Kindle, mas já presente em modelos da Sony e da iRex.

Os dois modelos têm conectividade Wi-Fi 802.11b/g e Bluetooth. Serão vendidos em breve por US$ 399 (E6) e US$ 699 (E101).

 
Samsung Apps

Esse é o nome da loja de aplicativos para aparelhos como televisores, tocadores de Blu-ray, sistemas de home theater e telefones celulares da marca. A plataforma é aberta para qualquer desenvolvedor.